Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

31
Jul 08

 

No último post esqueci-me de mencionar uma das razões para o sentimento de felicidade. A compra de uns sapatos, lindíssimos... Adoro sapatos, adorava ser rica para ter um armário lindo, enorme, só para sapatos (teria e faria mais coisas, claro! viajar, por exemplo)... Estes são mais sandálias, douradas, com flores cravadas de brilhantes, com saltos altos, finos, vertiginosos... Pena que não são para todos os dias...
Tenho que continuar este post pedindo desculpa por não ter ainda respondido aos comentários, vou fazê-lo, se não hoje, nos próximos dias...
Hoje vi o Labrador, troquei umas palavras com ele. Como só o vou ver daqui a um mês ou mais, tenho que pôr este pensamento na prateleira. Entretanto, surgiu uma nova espécie. É muito cedo para dizer se é mais um rafeiro (para os menos atentos ou novos no blog, explico: rafeiro é o que ladra, ladra... mas não morde... aquela mordida gostosa, como dizem os brasileiros...). Teve a paciência para esperar uns bons 10 minutos, até eu sair do café onde já nos encontrámos por várias vezes... para depois me deixar passar na passadeira... Deve ser mais novo que eu, tem uma cara giríssima, é pena não ter mais uns 10cm, mas também, não se pode ter tudo, não é? Tem um ar inteligente, mas há quem engane, e muito... Também depende para que é que o quero, não é? E eu ainda não sei bem o que quero... Penso muito nisso mas ainda não sei bem... Bom, mas de qualquer forma algo me diz que isto ainda vai dar pano para mangas... Vou dar-lhe uma alcunha... será um... Cocker... lol
O meu ex mandou-me uma mensagem que mostra a sua maturidade... A agradecer por eu ter acabado porque agora está feliz... Será que ele pensa que isso me afecta?! Ai, como o rapaz está enganado... Quanto melhor ele estiver mais equilibrado será, para ser o melhor pai que possa para os meus filhos... E eu quero que eles tenham uma boa relação, a melhor possível...
O mês está a acabar, ou seja, vou ter 1024MB novinhos em folha para gastar... ;-)
Este fim-de-semana queria ir ao cinema. Mas sozinha. O que não quer dizer que não vá duas vezes... O fim-de-semana é grande... Há sexta, há sábado, há domingo... E há sempre muitos filmes para ver! ;-)
Entretanto, já estou em contagem decrescente para a 2ª fase das férias... Já só falta um mês...
Hoje, ao falar com uma amiga, voltei a pôr em dúvida o que quero para mim na minha vida amorosa/sexual nos próximos tempos. Sexo ocasional, com o mesmo ou vários, é fácil. Talvez demasiado fácil para mim, que gosto mais das coisas quando são difíceis. Continuo firme na opinião de que, seja para o que for, não quero um fulano que seja casado ou que viva com alguém. Por vários motivos isso pode correr mal e não é de todo o que eu quero para mim. Seja para o que for. Há claro, uma excepção. Que é o «meu» Labrador. Mas adiante.
Dado que recebi um feed-back acerca do blog onde me diziam que serve o propósito de dar a conhecer melhor o pensamento das mulheres... Posso aqui tentar explicar os motivos que me levam a fazer a afirmação anterior... Primeiro: um homem comprometido (chamemos-lhes assim, mas pode ler-se alguém que seja casado, viva com ou tenha casamento marcado) não vai poder dar-me o que eu quero, nos momentos que eu quero/posso. Mesmo que seja só sexo. Depois, há a questão do que ambos queremos. No início podemos ter tudo muito bem definido... mas se eu ou ele quisermos mais? Se ele estiver disposto a deixar a família, por exemplo? Na afirmação de que não quero viver com ninguém nos próximos... digamos... 10 anos, estou firme. Para sempre? Não sei. Neste momento não lhe vejo vantagens. Só desvantagens. Deixar uma família... e depois, se eu me farto dele? São questões que já surgiram com alguém com quem nunca troquei sequer um beijo...
Quando me separei, inicialmente imaginei que agora já não me importaria essa questão. Mas continua a importar. Talvez porque não consigo deixar de sentir empatia com a pobre que está lá em casa, a cuidar dos miúdos, dele, sem saber de nada... Ou talvez não. Mas não quero saber. Se desconfia e não investiga ainda tenho mais pena. Dos dois. Porque vivem uma mentira, provavelmente em nome de questões materiais, de aparências ou de pressões familiares...
De uma coisa tenho a certeza. Não quero ser a que tem de ficar calada quando o telemóvel toca. A que fica sozinha o resto da noite, porque ele vai para casa. A que o vê à sexta e só o volta a ver na segunda porque ele vai passar o fim-de-semana com a família. A que não pode usar baton, perfume ou brilhantes para a titular não perceber. O que se aprende quando se é precisamente a titular...

E claro, ocorre-me sempre: será que eu não mereço mais?! Claro que sim. Modéstia à parte. Sei que sim. Não vale a pena esplanar as minhas razões, mas sei que sim. Mereço pelo menos uma pessoa honesta. Porque, isso a vida já me ensinou, vejo pelas costas dos outros o que se passa nas minhas.

 

Beijos

Trintinha 

publicado por Trintona(inha) às 21:55
sinto-me: Bem
música: Encosta-te a mim - Jorge Palma

28
Jul 08

Bom... Hoje é segunda-feira e acordei com um sorriso na cara. Não, não houve sexo no fim-de-semana. Nem só de peixe vive o homem... Claro que se tivesse havido, do bom, com quem eu mais desejo neste momento... uau... mas não. Não houve. Mas analisemos o porquê deste dia tão lindo...

 

Sexta-feira levei os miúdos a uma exposição de arte, coisa que não é muito habitual na nossa família, mas que tem que começar a ser. Quero que os miúdos sejam expostos a várias influências e esta é uma delas. Eles gostaram, eu também e portaram-se muito bem, ao contrário do que eu esperava...

 

O sábado começou mal. Ia conhecer a actual namorada do meu ex. Devo confessar que estava um pouco nervosa... Quando realmente a conheci ficou o gostinho doce na boca... Não é mais nova, não é mais bonita, não é mais magra, não é mais alta... Se, como ele próprio disse, vai ter uma namorada mais bonita que eu (será que é isto que é realmente importante?!), vai ter que continuar à procura. Porque esta não é, com certeza.

 

Depois, uma festa... Infantil, mas aproveita-se e dá-se dois dedos de conversa com as amigas, o que sabe sempre bem... E ser o centro das atenções (masculinas) sabe sempre bem... ;-)

 

No domingo, um dos meus programas matinais favoritos... banho-de-lojas... Há tanto tempo que não tinha isto... Sozinha! Que delícia... Pena o saldo não permitir extravagâncias... Mas deu para comprar umas coisinhas... No meu shopping favorito...

 

À tarde, cinema... O filme não seria a minha escolha número um, mas perante os filmes disponíveis naquelas salas e os que eu ainda não vi... :-) Pois é, tenho ido um bocado ao cinema... Uma companhia bem agradável... Boa conversa, despretencioso, simpático, terra-a-terra... Muito bom.

 

E depois, o regresso dos meus filhos... Amo-os, mas qualquer mãe a tempo inteiro sabe que podem cansar muito... Um dia inteiro sem eles permite-nos cuidar um pouco da nossa cabeça e depois, ter disponibilidade redobrada para eles...

 

No meu trabalho descobri recentemente um novo filão. Não colegas, mas os que recorrem aos nossos serviços. E são vários os interessantes... E os do comércio vizinho também prometem...

 

O Labrador continua a fazer parte apenas do meu imaginário... O vintinho continua disponível para quando eu puder/quiser... Isto é muito bom...

 

E já só faltam 3 dias para eu voltar a ter MB de consumo mais à vontade! ;-D

 

Beijos!

Trintinha

 

publicado por Trintona(inha) às 22:02
sinto-me: Muito bem...
música: The Story-Brandie Carlile (música fetiche, cada vez mais...)

20
Jul 08

 

Bom, onde há fumo, há fogo.
Quando se diz que uma mulher de trinta ou mais e um homem de vinte é explosivo, parece que é verdade... O que lhes pode faltar em experiência e know-how pode ser perfeitamente compensado com performance e vontade de aprender...
 Bom, como já deu para perceber, uma das minhas saídas correu muito, muito bem... O vintinho era muito giro, apetecível... Sem conversa da treta, sem confusões, sem compromissos, sem complicações... Isto já parece o anúncio do Pingo Doce! Mas é mesmo assim. Penso que uma das vantagens desta faixa etária é mesmo essa. Um quarentão, por exemplo, ou é casado, ou é divorciado, ou solteirão... Ou está cheio de vícios, postos pelas ex-namoradas, pelas ex-mulheres ou pelas mamãs... Um vintinho está interessado na experiência e nada mais. A parte física correu muito bem, para já fiquei satisfeita (não, não estou a falar da parte sexual propriamente dita), mas será que, a longo prazo, é isto que quero?
Penso que não. Preciso de alguém que me saiba cortejar, alguém que saiba o que é dirty talk e que saiba aplicá-la na altura certa, com as frases certas (que isto não se ensina...), alguém que, quando me abraça, sinto que me protege contra tudo e todos. Mas depois, é precisamente esse tipo de homem que está comigo e com mais duas ou três ao mesmo tempo... E eu prometo a mim própria não ser assim, não ser leal a quem não o é para comigo, mas o primeiro pensamento é de, imaginando-me com alguém, pôr todos os outros de parte...
Porque é que eu sou assim? Será que não há homens interessantes e leais? É uma pergunta meramente retórica... Tenho 31 anos (quase 32 :-D). Mesmo que consideremos que só comecei a namorar aos 14, o que nem é bem verdade, são 17 a conhecer o sexo oposto. 17 anos de um conhecer homens (não todos por experiência própria, claro...) e todos eles não desperdiçam uma oportunidade. Isto quando não a procuram activamente...
Não sei que escolhas vou fazer no futuro. Se vou alguma vez sentir a necessidade de "estabilidade" pela qual muitas mulheres fecham os olhos ao que os maridos fazem. Para já não. Não estou disposta a ceder esse meu sossego. Não sei se encontrarei algum dia um homem que me agrade e que aceite, de bom grado, o que tenho para oferecer. Às vezes, penso que é pouco. Às vezes penso que, para alguns, é ouro sobre azul. Não sei. Ainda não encontrei o homem cujo perfil me faz desejar saber se lhe chega.
Continuo sem o número do Labrador. O favor deu azo a uma longa conversa, mas não se proporcionou troca de números. Soube mais alguns pormenores que mais me aguçaram o apetite. Se chegar a ser, é para ir com calma. Tem 43 anos, faz 44 vinte dias antes de mim... Casa própria, longe dos pais... Dá-me a sensação que está interessado, mas talvez não me queira afugentar... Afinal sempre tem mais 12 anos que eu... (Não, Miguel, gay não é, isso acho que eu conseguia detectar...) E claro, quando lá vou, estou sempre rodeada dos meus filhos, com a minha mãe...
O Rafeiro2 fez-me um convite, que não vou aceitar. O Rafeiro1 voltou a não dizer nada, um dia destes lembra-se, não sei se julga que estou à espera dele. Sinceramente, nem quero saber...
A minha amiga do peito (bom, dos dois...) voltou a sugerir um encontro. Se, por um lado, sinto curiosidade, por outro fico a imaginar o momento e penso que, a certa altura, vou sentir falta de qualquer coisa (não posso nomear, senão caio na pornoxaxada :-P)... Tive vontade de lhe perguntar se ela não sente, mas achei que seria muito atrevido. Talvez ainda esclareça essa minha dúvida.
O meu local de trabalho continua um deserto em termos de homens interessantes. Pode ser que, na próxima semana, a vida me reserve algumas surpresas...
Beijos
Trintinha
 
 
publicado por Trintona(inha) às 21:25
sinto-me: Bem
música: Pedro Abrunhosa - Eu estou aqui

16
Jul 08

 

Depois de ler um dos destaques do Sapo de hoje, o do fã do Zezé Camarinha, fiquei inspirada para escrever sobre sexo. Para começo de conversa, eu não sei muito bem quem o senhor é. Ok, é um homem, do Algarve, cota, pelo que me lembro, que papava as «cámones». Até aí, acho óptimo. Elas vêm a Portugal, e se procuram sexo, que alguém lhes dê, de preferência, do bom. Agora, pelo que pouco que entendo do assunto, parece-me que ele, os seus fãs e outros que tratam as mulheres do mesmo modo, tratam-nos como vacas no matadouro, apenas um número a elevar. Ok. Estão no seu direito. Mas estão à espera que gostemos de ser assim tratadas? I think not!

 

Vendo a coisa por outro prisma, para uma mulher seria facílimo fazer isso. Arrisco-me a dizer que, se eu ou uma mulher equivalente a mim (significa isto apenas que tenha a mesma experiência que eu tenho com os homens em geral, o como eles respondem a uma «proposta» -  e não precisa ser explícita...) teria a proporção ao contrário. Este fã diz que, se investir em 100 mulheres, consegue 10. Eu tenho dúvidas que, se eu tentasse 100 homens, 10 recusariam... Mas adiante.

 

O que é que faz de uma experiência uma boa ou má queca... Isto é post para várias horas...

 

1º. O homem em si. Isto pondo de parte as minhas tendências bissexuais, que acho que já esclareci na minha cabeça que homossexual restrita muito dificilmente serei alguma vez. Ok. Tem que ser alguém sexualmente atraente. Não querendo cair no óbvio, alguém bonito, alto, inteligente, com algum status (desculpem a sinceridade), com mais de 20 mas menos de 45 (poderiam haver excepções, mas convém não aparentar, pelo menos, mais de 45), cheirosinho...

 

2º. O sítio. Se o sítio proposto é a minha casa, é sinal que o moço não possui cantinho próprio. Como já expliquei anteriormente, é um ponto a menos. Ou mais. Depende, talvez, da idade do jovem em questão.

 

3º. Como começamos. O ambiente, se foi criado pelo jovem, e é o adequado... são vários pontos a mais... Velas, música ambiente adequada, umas flores na casa... E se cozinha para mim... ui... Nem que seja só um bife e uma salada... É  intenção que conta, não a refeição em si... certo?

 

4º. Se demonstra que está interessado em que eu goste mesmo do momento ou se só pensa no próprio umbigo... Tal como é válido para nós, se gostamos de algo é natural que o outro goste de receber do mesmo... estou a pensar em sexo oral, mas o mesmo é válido para uma massagem, para uma roupa interior interessante...

 

5º. Ter preservativos. Volto a dizer que não há volta a dar neste assunto. Se não os tem, é mau sinal...

 

6º. Ter uma atitude cool. Não sei como pôr isto de outra forma. É não sugerir, como se estivesse a falar com a mulher da praça, o que se gostaria de obter. É não perguntar no final se se gostou. É talvez, de preferência com conhecimento de causa, que se é bom, que não é preciso perguntar. É sinal de que nos fizeram gritat tanto de prazer que não é preciso perguntar...

 

7º. A atitude que se adopta depois. Não mostrar descaradamente que nos querem ver pelas costas... Também não gosto de melgas, mas acho que há quem goste. Não gosto de dormir abraçada, por exemplo, mas tenho noção de que há quem goste...

 

8º. Quanto ao telefonar ou entrar em contacto depois, isso depende. Já aqui referi uma vez que, se o objectivo foi só mesmo aquela noite, tá optimo. Se não... depos digo-vos... ;-)

 

9º. Se tiver uns brinquedos sexuais interessantes... Marca mais uns pontos no quadro... ;-)

 

A ver vamos se amanhã escrevo um post na posse de um determinado número de telemóvel... Ou seja, com um sorriso de orelha a orelha...

 

Beijos

Trintinha

 

 

 

publicado por Trintona(inha) às 18:59
sinto-me: Esperançada!
música: Ronan Keating Feat Yusuf Islam - Father And Son

15
Jul 08

 

Bom, dois dias de trabalho já se passaram. O Rafeiro já lá não trabalha. Ainda bem, porque apesar de não me lembrar muito frequentemente dele, se tivesse de continuar a vê-lo diariamente, era bem mais complicado. Longe da vista, longe do coração... Mas o ambiente está excelente!

 

O Labrador deu-me hoje os dados completos dele, exceptuando o telemóvel, que não fazia muito sentido no contexto... E perguntou-me exactamente que dados eu precisava... e eu não tive coragem de lhe pedir o telemóvel... Quase bati com a cabeça nas paredes depois! E já sei que, quando eu voltar a falar com ele, ele me vai perguntar qualquer coisa como «como é que posso retribuir o favor»... e eu não vou ter coragem outra vez... Porque é que sou capaz de falar com o homem do café sobre as minhas tendências bissexuais e, com quem me interessa, nem o telefone lhe consigo pedir?! Mas como eu estou pouco habituada a não conseguir o que quero, já descobri mais algumas coisas sobre ele... Maravilhas do Google... Telemóvel é que não há meio de descobrir... Ou mail... E não sei como é que O hei-de conseguir... ter... ;-)

 

Estou um pouco mais atrevida e desinibida neste tipo de contactos... quando era miúda mal conseguia articular as palavras... Mas tenho que investigar nesta cabeça porque é que sou assim... E não é com todos...

 

O vintinho parece continuar bem interessado, eu também... Vamos ver que surpresas a Sexta-feira me reserva... Depois de sair com ele fui ler o histórico... Ainda bem que só fui ver depois, se calhar não tinha ido... Pelas coisas que disse... lol... Pode parecer um contra-censo, mas acho que é do conhecimento geral que a comunicação por SMS, mail ou Messenger desinibe muito... E tanto eu como ele falámos, entre outras coisas, claro, de preferências sexuais... lol... também devia ser do adiantado da hora... Resumindo e concluindo... Se o que ele anunciou for verdade, vamo-nos dar muiiiiito bem... ;-) Antes da saída tenho que fazer um check-list para depois poder comparar com os meus requisitos-base... Claro, sem entrar na pornoxaxada! ;-)

 

Beijos

Trintinha

 

publicado por Trintona(inha) às 21:47
sinto-me: Contente!
música: Plain White T's - Hey There Delilah

13
Jul 08

Bom, hoje estou nostálgica. Nostálgica porque amanhã começa mais um período de trabalho... Ou seja, para quando alguns começa um período de férias, para mim acaba... Mas estas férias foram muito boas... Pode-se dizer que vejo a vida com outros olhos... Estou (um bocadinho) mais apaixonada por mim... Estou mais ciente das minhas capacidades... quer das exteriores quer das interiores... ;-)

 

Mas amanhã começa um novo período de trabalho. Mas com grandes esperanças que tudo esteja melhorado. Funções um pouquinho diferentes, novo ambiente após a saída de alguns elementos, menos confusão... Menos trabalho? Duvido... Mas com bom ambiente, nem me importo de não almoçar!!!

 

O meu livro vai  meio... Há ali algumas partes de auto-análise em que perdi um pouco  vontade, mas ainda estou motivada...

 

Os meus blogs favoritos não têm posts há «bué»... Fico triste... Onde andam vocês?

 

 Bom, sem querer, publiquei o post incompleto... Se me der a inspiração mais logo, acrescento umas ideias que andam aqui a pedir amadurecimento...

 

Beijos

Trintinha

 

 

 

publicado por Trintona(inha) às 19:31
sinto-me: Expectante... mas o.k.
música: will.i.am - I Got It From My Mama

 

Tendo noção de que coloquei no post anterior a idade do meu date de ontem, duas questões precisam, para mim, ser exploradas. Partindo da noção de que ambos gostaríamos de repetir, tal como já expressámos um ao outro, o que é que leva uma trintinha a olhar para um vintinho? E o oposto?

 

Pondo de parte o preconceito, pois que ainda por cima é do menos aceite socialmente que se trata, o que é que pode fazer duas almas com (até pouca) diferença de idade quererem estar juntas por algum tempo? O tipo de interesse é algo que eu própria ainda tenho que explorar, pois se, com um quarentão pouca coisa me faz confusão, com um «pito» na casa dos vinte, a coisa não se passa bem assim. Para sossego da minha consciência, não fui eu que o procurei. Como já descrevi noutro post, também não fui eu que propus a saída, muito embora já tivesse sido solicitada por parte dele várias vezes, e tivesse sido uma frase minha que a despoletou.

 

Da parte dele, parece-me óbvio que o interesse é quase, se não mesmo totalmente, só sexual. Ele viu algumas fotos minhas, diz que não pareço ter 31 anos (vou fingir que acredito) e gostou. Ok. Saiu ontem comigo, e diz que gostou na mesma. lol. Ok. Ele até é um rapaz bem apresentado, olho e cabelo claro, não demasiado alto, mas também não tem 1.65... Tímido? Ele diz que sim. Será por isso que se interessa por mulheres mais velhas? Dão menos luta, são menos dissimuladas (já sei que há quem não concorde, mas se há coisa que a vida me ensinou é que não vale a pena andarmos todos a brincar às casinhas - se queremos qualquer coisa, porque não admitir?!)? Tinha o preconceito, até ontem, que as miúdas de vinte anos são «fáceis». Hoje tenho dúvidas... E depois, lembro-me sempre que esta «pancada» pode advir de problemas com as figuras parentais... Enfim...

 

Da minha parte, o que é que eu posso ver nele... Bom. Quando saí de casa ia tranquilíssima da vida porque pensava... «Não vou ter qualquer problema, com a idade que ele tem, não vou sentir qualquer tipo de atracção e não vou ficar indecisa com nada...» E assim foi... Até começarmos a conversar, a conhecermo-nos melhor... Depois na caminhada até aos carros... E a despedida... Ambos pensámos duas vezes onde é que faria sentido beijarmo-nos. Bom, eu pensei isto, ele pode ter pensado que se me beijava na boca levava um estalo... lol... Mas não levaria... É ponto assente que eu não quero uma relação amorosa convencional. Não sonho mais com viver em comum, já tenho os filhos que a vida permite ter com alguma (pouca) comodidade... Por isso, tudo o que aspiro é uma relação com alguém que me tire fora do sério (alusão ao site que destaco no fim...)... Que me deixe nas nuvens, muito sexual mas também, se possível, de alguma forma... amorosa?! Não será este o melhor termo mas não consigo arranjar um melhor. Se quisesse sexo apenas por sexo, já teria tido vários one night stand's, mais ou menos satisfatórios. Talvez lá chegue, mas para já ainda não. Será que, pela sua idade apenas, este tipo de fim lhe está completamente proscrito? Não sei. Material para ponderar neste que vai ser o meu último dia de férias... até Setembro! :-)

 

 

Um blog que encontrei hoje, fantástico:

http://audaciosos.blogs.sapo.pt/

 

 

Beijos

Trintinha

publicado por Trintona(inha) às 00:00
sinto-me: Entusiasmada!
música: James Blunt - 1973
tags: , ,

12
Jul 08

 

 

Correu muito bem. Não fui violada, assaltada, invadida no meu espaço pessoal, ou qualquer outra coisa negativa. Aliás, a saída em si só aconteceu porque foi assim meio imprevista. Hoje em dia já não acredito em coincidências, mesmo aquelas de acontecem devido aos nossos actos. Podem não ser conscientes, mas inconscientemente procuramos aquilo que obtemos. Há poucas excepções. Passo a explicar. Conversando no Messenger sobre a sexta-feira (isto na quinta, claro), digo que vou ao cinema. Claro que, do lado de lá, soa a convite. Eu ainda tento esclarecer que não era um convite, mas também, já era demasiado tarde. E se há pessoas com as quais não quero, de todo, ir a lado algum, outros há que, não fossem os não sei quantos kilómetros que nos separam, aconteceria decerto. Ou então, que até vivem relativamente perto e não me se acende nenhuma luz vermelha quando vejo algo sobre elas.

 

Fomos então tomar um café, sitío mais que público, fomos ao cinema, filme despretencioso mas engraçado para o género - Hancock - e depois, uma outra bebida num bar das redondezas. Boa conversa, cabeça aparentemente bem assente nos ombros, apesar dos 9 anos que nos separam...  :-o Sim, porque conheço muitos bem mais velhos que não têm mais de 16 anos de idade mental... Cada um no seu carro, dois beijos na cara à despedida... Um bom momento... 

 

E assim chegou o meu último fim-de-semana em liberdade, que segunda-feira lá começam os compromissos laborais... :-P  Mas em Setembro há mais! YUPI!!!

 

Vou aproveitar para passear mais um pouco, aproveitar que o tempo até nem está tão mau como ontem...

 

Bjs

Trintinha

 

publicado por Trintona(inha) às 12:57
sinto-me: Muito bem!
música: Goo Goo Dolls - Iris
tags: ,

11
Jul 08

 

O post hoje vai ser bem curto.

 

Frase do dia, proferida pela minha filha: «Ó mãe, tás mais magra!» (6 anos) UAU ;-)

 

Hoje, se tudo correr como previsto, vou conhecer ao vivo, pela primeira vez, alguém que só «conhecia» da net. Em local público, com os dois olhos bem abertos, e tal... Torçam por mim, se puderem, apenas para que tudo corra bem. Desta vez não há dúvidas quanto a limites.

 

Bjs

Trintinha

 

publicado por Trintona(inha) às 20:07
sinto-me: Contente
música: The Story - Brandie Carlile (música fetiche) lol
tags:

10
Jul 08

 

Hoje, na RTP2, passava em rodapé a informação de que, em Portugal, na meia-idade, 60% dos homens e 40% das mulheres tinham tido pelo menos um encontro extra-conjugal.
Claro que, posto assim, tenho grandes dúvidas.
Primeira, o que é meia-idade. 50 anos?
Depois, o que é um encontro extra-conjugal? Um simples café com alguém por quem se sente uma atracção e o companheiro não tenha conhecimento? Duvido que tenha sido esse o critério do estudo... Parece-me um pouco redutor só ser considerado extra-conjugal se tiver havido sexo... Em algumas das vezes que li coisas sobre o assunto, encontrei uma que é a "minha" definição: é todo e qualquer acto ou pensamento que, se soubéssemos que o nosso companheiro teria conhecimento, não poríamos em prática... Penso que, se fosse este critério (ok, é demasiado abrangente, eu sei... mas quando o pensamos relativamente à pessoa de quem gostamos talvez não pareça assim tanto, não?), apareceria a percentagem 100% / 100%... E não estou a dizer que, segundo esta definição, eu nunca teria traído... Claro que sim...
Depois, 60%? Ui, ui... ou sou eu que conheci os homens errados até hoje... ou é por serem de Lisboa... Ou o número está subestimado! E 40%? Bom, quanto a isso, não tenho muitas certezas. As mulheres de meia-idade que conheço são demasiado espertas para deixarem transparecer se alguma vez “fizeram chichi fora do penico”. Provavelmente, muito graças à diferença cultural... Homem com muitas mulheres, grande macho. Mulher, puta. Pois. E, quanto aos homens, não estou a falar dos que me foram qualquer coisa... Estou a falar de todos os que conheci ou conheço, nos vários meios por onde me movimento... Trabalho, lazer (pouco hoje em dia, infelizmente), ensino...
Será que é mais fácil trair em meio urbano? Penso que sim... Em meios pequenos deve ser muito mais difícil ter uma aventura sem que todos saibam. Por isso era interessante saber onde foi efectuado este estudo.
Talvez também seja interessante imaginar um estudo feito com a minha geração daqui a 20 anos... Ui, ui, ui... Acho que não conheço um único homem da minha geração que não tenha já traído... Mas também me parece que as mulheres desta mesma geração nunca se iam ficar pelos 40%. Acho bem. Se ficam tranquilas com isso, força! E se lhes dá prazer...
A semana está a acabar e continuo sem o número do Labrador... É pena... Mas já começo a aprender a ser paciente... Até porque às vezes o melhor é mesmo a altura do flirt... Quando se torna realidade, às vezes, fica desinteressante, não é? Espero que não venha a ser esse o caso, se é que vai chegar a acontecer. Mas há muito peixe no mar... E eu adoro peixe... (Os peixes também mordem!!!) Grelhado, assado, em caldeirada... Especialmente em caldeirada... ;-)
Bom, hoje fico por aqui... Talvez o fim-de-semana traga novidades... ;-)
 
Bjs
Trintinha
publicado por Trintona(inha) às 22:23
sinto-me: Bem comigo mesma!
música: My hips don't lie - Shakira feat Wyclef

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

14
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
29
30


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO