Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

27
Out 08

Em conversa com um amigo (daqueles que sei que posso ligar às 4h da madrugada, embora não seja de longa data, com muita pena minha), apercebi-me que as mulheres, de uma forma geral, da minha idade inclusivé, continuam a mentir em quase tudo o que diz respeito ao sexo. 

 

Que não vêem pornografia. Que não se masturbam, ou, pelo menos, não regularmente. Que não são capazes de fazer sexo sem amor. Sei lá que mais. Por outro lado, os homens dizem que, cada vez mais são assediados forte e feio por elas... Isto não soa a falso?

 

Eu, se calhar, sou ao contrário. Sou capaz de admitir que faço tudo aquilo que falei inicialmente, mas mesmo que veja o "Deus Grego" que me tira do sério não vou lá oferecer os meus préstimos sem o conhecer de lado nenhum. E não acredito que uma mulher, na minha faixa etária, que não tenha sexo regularmente, não se cuide sozinha, como eu costumo dizer. Já me aconteceu começar e não terminar (volto a dizer, sozinha) por cansaço. Mas isso é uma excepção.

 

Também não entendo porque dizem que não gostam de ver pornografia. Será porque têm medo de ver a dois e que depois lhes peçam para pôr em prática algumas das coisas que viram?

 

Será que é por medo de serem julgadas? Penso que sim. Porque continuo a ouvir relatos de jovenzinhos que só querem casar com uma virgem. Tenho pena deles. E delas. Mas às vezes apanham as espertalhonas que já foram com meio-mundo e lhes dão a volta... Desculpem, mas ahahaha... Bem feito...

 

Por outro lado, e quem priva comigo sabe que isto não é só conversa... Penso que uma boa parte da responsabilidade das mulheres não assumirem a sua sexualidade é culpa... delas próprias. Porque continuo a ouvir que «ainda bem que a minha filha é virgem» ao mesmo tempo de «o meu filho é um grande macho porque já comeu x namoradas?... Somos nós que educamos os filhos. Se a minha geração pensa assim, boa parte da responsabilidade é da geração da minha mãe. E a da minha filha, minha... Quando será que as mulheres se apercebem desse poder? E se libertam?

 

 

 

publicado por Trintona(inha) às 21:38
sinto-me: Surpresa
música: Alanis Morissette - Ironic

25
Out 08

Noite cerrada...

 

O carro rola a uma velocidade confortável.

 

Lamentavelmente, não tenho CD's...

 

Por isso vou passando as rádios...

 

Até que oiço uma voz masculina a anunciar o «homem das obras mais desejado do planeta»...

 

E eu penso... que coisa estranha, mas deve ser um gato, deixa ouvir quem é...

 

 

 

 

Bob, o Construtor!!!

 

 

publicado por Trintona(inha) às 13:39
sinto-me: Humorística...
música: António Variações - É p'ra amanhã

20
Out 08

 

Analisando toda a minha vida amorosa passada, encontro várias constantes. Uma delas é o facto de nunca ter tido uma relação resultante do meu interesse por eles. Sempre aconteceu o oposto. Eu andava na minha vidinha, descontraída... e alguém demonstrava interesse em mim. E eu ia na onda... ou não... Algumas alturas pensei que me apaixonei... hoje tenho dúvidas, mas enfim...

 

A dúvida persiste... Será que alguns deles não funcionaram por causa desta questão? Porque eu não me esforçava o suficiente? Por os saber suficientemente apaixonados por mim para investir?

 

Pressupondo que isto terá um fundo de verdade, o que posso fazer para evitar repetir esta situação? Penso ser possível haver o mesmo «nível» de paixão, de entrega... Ou não?

 

Uma outra constante, tentando aprofundar a análise, foi a ideia de que, a partir do momento que começava a sair com alguém, não havia retorno. Tinha de começar a namorar (bons velhos tempos, em que ainda usava esta palavra!) com o moço. E daí ficar presa a alguém que afinal não tinha dito bem toda a verdade acerca de todas as áreas da sua vida, era um pequeno passo. Outra máxima que uso com frequência na minha vida é que costumamos julgar os outros à luz daquilo que somos. E como, normalmente, não sou de jogos... penso que os outros também são assim. Mas isso não corresponde à verdade. E já aprendi a detectar algumas coisas. Mas há coisas que só se sabem realmente quando se conhece a pessoa. E aí, antigamente, para mim, já era demasiado tarde. Mas é um ponto a mudar. Se alguém me mente para «me obter», não merece a minha confiança, o meu «investimento».

Faz sentido, não? Daí uma pergunta... Porque será que os homens (e as mulheres também, claro), mentem, sabendo que, mais tarde ou mais cedo, a mentira vai ser descoberta? Será que contam com este tipo de reacções que descrevo?

 

Beijos!

 

publicado por Trintona(inha) às 21:43
sinto-me: Muitíssimo bem... ;-)
música: Dos Locos Enamorados - Alexandre Pires

18
Out 08

Ontem, enquanto conduzia, sozinha no carro, surgiu-me mais um tema para reflectir. E por isto, volto a dizer, não se pense que vivo obcecada com este tema, ou que isto acontece repetitivamente na minha vida... São só ideias que gosto de pôr em ordem na minha cabeça, para o que escrever é uma grande ajuda...

 

Sexo demasiado cedo, na minha geração e limítrofes... existe? Quando as pessoas chegam aos 30 anos já têm, na sua maioria, a sua sexualidade bem resolvida. Sabem do que gostam, com que género de pessoas gostam, o que ainda têm para experimentar, se é que

têm... Conhecemos alguém, saímos algumas vezes com essa pessoa... E, num dado momento, há vontade. Somos crescidinhos e partindo do pressuposto que não devemos nada a ninguém... Seguimos para Bingo. E é bom. Porque não?

 

Será que ainda hoje subsiste o pensamento de (e aqui falo só na perspectiva masculina) «Se ela foi para a cama comigo tão rápido... será que vai com todos?». Eu própria não sei responder a essa pergunta. Mas tendencialmente a resposta seria não. O interesse sexual, o porquê que uma outra pessoa nos atrai sexualmente é uma coisa tão delicada, tão dificilmente explicável... Posso dar o meu exemplo. Talvez, algumas vezes na minha vida tenha "deixado" o sexo acontecer demasiado cedo. Talvez algumas vezes isso tenha sido o fim da "relação". Mas, à semelhança do post anterior, isso também permite separar o trigo do joio. Um homem da minha idade tão tacanho que não quer estar comigo porque pode amedrontar-se com o número de parceiros que eu já tive não me interessa. Assim como me estou a marimbar com quantas mulheres o homem com quem estou já teve sexo. Não me interessa. Talvez porque a concorrência, ou o medo das comparações não me preocupa. Será essa a principal preocupação dos que consideram?

 

 

 

 

 

 

 

 

AMOR E SEXO
(Rita Lee / Roberto de Carvalho / Arnaldo Jabor)

 

Amor é um livro - Sexo é esporte
Sexo é escolha - Amor é sorte
Amor é pensamento, teorema
Amor é novela - Sexo é cinema
Sexo é imaginação, fantasia
Amor é prosa - Sexo é poesia
O amor nos torna patéticos
Sexo é uma selva de epiléticos

Amor é cristão - Sexo é pagão
Amor é latifúndio - Sexo é invasão
Amor é divino - Sexo é animal
Amor é bossa nova - Sexo é carnaval

Amor é para sempre - Sexo também
Sexo é do bom - Amor é do bem
Amor sem sexo é amizade
Sexo sem amor é vontade
Amor é um - Sexo é dois
Sexo antes - Amor depois
Sexo vem dos outros e vai embora
Amor vem de nós e demora

publicado por Trintona(inha) às 14:20
sinto-me: Bem
música: AMOR E SEXO - Rita Lee

17
Out 08

No seguimento de uma resposta a um comentário aqui do blog, ocorre-me uma questão. Porque é que os homens (sim, sim, alguns, eu sei) se "assustam" com uma mulher independente? E inteligente? Como considero que são duas questões que andam de mãos dadas mas têm razões diferentes, passo a analisá-las em separado.

 

Bom. Um homem conhece uma mulher. Interessa-se por ela. Dá-lhe isso a entender, seja lá de que forma for. Combinam, saem. Ela mostra-se uma mulher realizada, orientada, que se vira bem sozinha. Provavelmente, procura alguém (se é que procura, mas isso já é outra conversa) apenas para partilhar bons momentos, sejam eles de sexo, de paixão, de conversa ou de convívio. Ora vejamos. Não precisam de um homem para tarefas como mudar pneus, fazer arranjos em casa, abrir frascos de compota (até porque a compota é só açúcar! :-D) ou qualquer outra tarefa considerada, nos primórdios, como masculina. Bom, o que resta? Os momentos a dois, para puro sexo, ou passeios, ou longas e deliciosas conversas. E eles fogem? Será que valia a pena que tivessem ficado? Na minha opinião: não. Um homem que quer que eu seja dependente dele não me serve. É porque não preza o meu bem-estar, a minha individualidade. Pensando bem, ainda bem que fogem. Estão a poupar-me uma data de chatices.

 

Inteligente, na minha opinião, é ainda mais simples. É porque não gostam de competição. Complexo de inferioridade. Esses ainda me servem menos. Por isso não escondo. :-D

 

E lá porque o blog ultimamente não gira em torno de sentimentos positivos e histórias felizes, isso não significa que eu ande deprimida ou não veja o azul no céu! É simplesmente porque, nas 24 horas que o dia tem, me ocorrem sempre uma data de temas para reflectir, mas sobra normalmente só um... E hoje foi este...

 

Beijos!

 

publicado por Trintona(inha) às 18:35
sinto-me: Muito bem!
música: Humanos - Rugas

15
Out 08

 

Regras
 
1. Ponham o vosso player em modo aleatório.
2. Carreguem em "seguinte" para cada pergunta.
3. Usem o título da música como resposta a cada pergunta, mesmo que não faça sentido.
4. Nada de batota, ouviram?
5. Com as respostas, fazer os próprios comentários em relação às perguntas e às respostas.
6. Publicar os resultados e convidar outras pessoas a responderem ao mesmo desafio.
 

1. Como te sentes hoje? Honky Tonky Woman - Rolling Stones; bom, devo confessar que não é música que eu costume ouvir... por isso, para responder, fui ler a letra. ok. não tem nada a ver nem comigo, nem particularmente como se sinto hoje...
 
2. Vais ser alguém na vida? Natalie Imbruglia - Come Home; a parte de cair, na minha vida futura, não me agrada muito... mas quando se pensa em ser alguém pensa-se em profissão... e isso já tenho e gosto do que faço...
 
3. Como te vêm os teus amigos? Wind of change - Scorpions; muito provavelmente. gosto de revolucionar tudo, pôr as coisas a funcionar no seu máximo esplendor... lol
 
4. Vais casar? David Fonseca - Haunted Home; bom... fantasmas... do passado? não me parece que vá casar, não...
 
5. Qual música do teu melhor amigo? Phil Collins - Everyday; coitado do meu melhor amigo...
 
6. Qual é a história da tua vida? nelly_furtado-all_good_things_(come_to_an_end); pois é, se calhar é mesmo verdade... tudo o que é bom tem o fim... o que vale é o que é mau também!!! :-D
 
7. Como é que foi a escola secundária? Bem vindo ao passado - Donna Maria; ui... mal vinda! não queria lá voltar!
 
8. Como é que podes ir adiante na vida? Busta Rhymes feat Mariah Carey - I Know What You Want; bom, realmente, sabendo o que ALGUMAS pessoas queriam... ajudava um pedaço...
 
9. Qual é a melhor coisa nos teus amigos? U2 - I Still Havent Found What Im Looking For; pois, talvez...
 
10. O que é que está “in” esta semana? Ronan Keating - Last Thing On My Mind; se por «in» se entende locais da moda, realmente é mesmo a última coisa na minha mente!!!
 
11. Como é a tua vida? Bryan Adams - Heaven; era bom, era... para ser o céu precisava de guito! muito guito! não dá felicidade, mas ajuda muito! 
 
12. Que música vai tocar no teu funeral? Black Eyed Peas - Don't phunk with my heart; seria justo. foi uma das minhas músicas favoritas há alguns anos... se calhar vou morrer do coração... :-)
 
13. Como é que o mundo te vê? Jorge Palma - Eternamente Tu; bom, como interpretar? serei teimosa? casmurra? provavelmente...
 
14. Vais ter uma vida feliz? UB40 - Sins of the fathers; lendo a letra... é de cariz religioso... e embora eu não o seja, tenho uma máxima... não fazer mal aos outros. por isso penso que a resposta é sim, acredito que, na generalidade, vou continuar a ter uma vida feliz...
 
15. O que é que os teus amigos REALMENTE pensam sobre ti? Da Weasel - Negócios Estrangeiros (feat.Rui Macena); loool... os amigos pensam... negócios... mau! ou querem vender-me ou sou demasiado centrada no dinheiro...
 
16. As pessoas têm inveja de ti? coldplay-x_and_y; eu bem tento remendar os efeitos nefastos que dizem que a inveja tem na minha vida : -D... mas sinceramente não acredito em nada disso...
 
17. Como te podes fazer feliz? Green Day - Are We the Waiting; bom... uma noite estrelada... será que a cidade é NY? ando doida para ir lá...
 
18. Com que música farias um striptease? Anastacia - Sexy single; palavras para quê?
 
19. Se um homem numa carrinha te oferecesse um doce, o que farias? Nickelback - Flat On The Floor; espero que seja o Pitt, o Law ou um qualquer equivalente... no chão da carrinha? que tipo de doce?! (tarada!)

20. O que é que a tua mãe pensa de ti? Marisa Monte -  Amor I Love You; ainda bem, eu também a amo...
 
21. Qual é o teu segredo mais escuro e profundo? Green Day - Extraordinary Girl; que sou rapariga, é só olhar. que sou extraordinária... só alguns sabem... e modesta, claro!
 
22. Qual é a música do teu inimigo mortal? Private emotions - Ricky Martin; não tenho, que eu saiba, inimigos, muito menos mortais!
 
23. Como é a tua personalidade? David Fonseca - Bu_urn; ui... até pegou fogo!
 
24. Que música vai tocar no dia do teu casamento? Anastacia - You'll never be alone; acho impossível esse dia chegar, mas, supondo que chegava, espero que seja mesmo para ter sempre comigo (nem que seja em pensamento) aquele que amo, que me ama, que eu respeito e que me respeita... não pela companhia, como se podia interpretar. mais vale só que mal acompanhada

 

Juro que não fiz batota. Era giro ler as respostas dos meus amigos-de-blog... Beijos!!!

publicado por Trintona(inha) às 23:44
sinto-me: Divertida!
música: Coldplay - Fix you

 

Como já aqui anteriormente escrevi, preciso arrumar os pensamentos acerca dos rafeiros. Apesar de já ter tido umas luzes acerca da perspectiva masculina sobre os porquês, falta-me «arrumar as prateleiras» dos motivos pelos quais este tipo de situações ocorre. Sei que não é um exclusivo meu (se assim fosse, ia para freira, mais valia!), mas já me aconteceu demasiadas vezes para o meu gosto.

 

Quais serão os motivos que fazem um homem interessar-se por uma mulher, dar-lhe a entender isso, falar-se sobre o assunto, chegar mesmo a sair (se for esse o caso) e, de um momento para o outro, sem aviso ou explicação, não voltar a dizer mais nada? Ou, pior, voltar passadas umas semanas como se nada fosse, a querer combinar «um café»?

 

Para mim torna-se particularmente difícil de analisar, uma vez que não costumo «prometer» o que não pretendo «cumprir»...

 

O primeiro motivo que me ocorre, claro, é terem mudado de ideias pela mulher em si. Neste caso... eu :-D Ok, pode acontecer, claro. Sei lá... Alguma ideia que se expressa que não agrada... A existência de filhos, que nunca escondi, mas pode fazer mudar de ideias mais tarde... Não costumo ter queixas, mas alguma questão física que me ultrapassa... Tudo isto seriam ideias perfeitamente aceitáveis, se não tivesse ocorrido, em todos os casos, os tais convites-descontracção depois... Se essas questões se colocaram alguma vez, não se iam esfumar no ar, não é?

 

O segundo que me ocorre é a existência de uma lista de «projectos». Assim como eu a tenho, é justo que eles também a tenham. E claro, pode haver sempre um «projecto» cujo lugar na hierarquia subiu vertiginosamente... E este motivo fornece uma boa explicação para os convites... Esses projectos tiveram o seu fim e foram-se reciclar os restantes da lista... É justo, mas convém que, das duas uma... ou sejam deuses gregos para que sejam perdoados... ou, pelo menos, sejam mais honestos... Não venham com a treta das impossibilidades, de que o gato comeu o telemóvel e se ficaram 7 semanas sem contactos, que ninguém engole...

 

Uma outra é a do flirt apenas pelo flirt... Entendo que os homens achem piada a uma resposta física favorável de uma mulher que consideram um avião, como eu costumo dizer... Claro que sim... eu também fico louca quando isso acontece... Mas se esse Boing 787 me retribui com o mesmo tipo de resposta aos meus avanços, eu quero ir até onde puder... The sky's the limit! Porquê parar na descolagem?!

 

Uma outra hipótese é serem "comprometidos" e, perante a hipótese de uma traição à cara-metade bem real, bem física... fiquem com medo e não avancem. Considero esta hipótese muito remotamente possível, já que, das situações que conheço, eles dizem que se é para serem «apanhados», mais vale que seja por tudo do que só por uma saída ou uns «amassos»... Mas penso que é a melhor explicação para um dos meus rafeiros de estimação... :-P

 

Não me ocorrem mais motivos... Mas adorava saber a opinião dos de Marte... ;-) Não pensem os meus amigos que, por reflectir sobre isto hoje, que estou deprimida... Estou bem, aceito as partes menos boas da vida para poder crescer, aprender com os erros e assim, verdadeiramente, evoluir.

 

Beijos!

 

 

publicado por Trintona(inha) às 22:18
sinto-me: Na boa!
música: When you really love a woman - Bryan Adams

12
Out 08

 

O comentário ao meu último post fez-me pensar muito. A tristeza por ele despoletada já foi discutida com quem de direito. Ainda não exaustivamente, mas lá chegará o momento.

 

Por outro lado, fez-me pensar no que o blog era no seu início e no que é agora. O comentário em relação à futura escassez de nomes de raças fez-me ponderar, e como diz a Ana no seu blog (http://diariodeumadivorciada.blogs.sapo.pt/), mesmo que eu encontre o homem-maravilha, é melhor ficar calada... Não é que, desde a minha separação tenha experimentado assim tantas raças... Os rafeiros existem, acho que já consegui entender porquê... obrigada J. Mas mesmo que tivesse experimentado... Não devo nada a ninguém. Não estou a deixar de seguir nenhuns dos meus valores...

 

Descobri um blog novo. É impossível agradar a gregos e troianos, por isso, eu assumo: gostei. Gosto de ler a opinião de um homem sobre os assuntos lá expostos. http://oarrumadinho.blogspot.com/ Se é que é mesmo um homem que escreve...

 

Quanto aos assuntos de trintonas e afins... Quero apenas partilhar convosco o assunto mais chocante do meu fim-de-semana... Ia eu a chegar ao meu carro, quando um grupo de três ou quatro adolescentes me disse: «És cota mas até és querida!» UL-TRA-JAN-TE!!! Mas tenho que me ir habituando, não é? ;-) Afinal... se eles tiverem 16 anos, tenho idade para ser mãe deles...

publicado por Trintona(inha) às 22:12
sinto-me: Cabrões dos putos! ;-)
música: Per7ume e Rui Veloso - Intervalo

11
Out 08

Bom... Continuando a saga, não o vi. O Labrador, I mean. Como não o vi e não sou mulher de ficar à espera que as coisas me caiam no colo - não confundir o fim-de-semana que lhe dei para ver se era timidez, com inércia! - mandei-lhe o tal SMS. Nada de chocante, pensava eu, pois os amigos a quem contei o que escrevi apelidaram a mensagem de bombástica... Não sei. Muito simples, na minha opinião. Não o vi no seu local de trabalho toda a semana.

 

Entretanto, tal como já aqui escrevi, manter vários «projectos» permitem-me manter uma atitude tranquila com relação às questões amorosas/relacionais... E os defensores dos direitos dos homens que não se preocupem... Tudo é feito com ética e sem magoar os referidos. Eu adoro cães... não lhes faria mal... ;-)

 

Entretanto, várias pessoas continuam a perguntar-me se já arranjei namorado. A pergunta irrita-me e é equivalente a perguntarem-me: «Hum, estás a afogar-te... Queres uma bóia?» Claro que penso que ter alguém na minha vida (homem ou mulher, já voltei aos meus devaneios bissexuais!) poderá trazer-me um aumento de bem-estar. Mas estou feliz. Estou bem. Odeio que me perguntem isto em particular. E costumo responder «Porque é que queres saber?»... É pergunta que desarma, normalmente, todos os intrometidos... E se for um possível «projecto», pergunto «Porquê? Queres mandar currículo?» :-)

 

Amanhã posso precisar de mais um nome de uma raça... Alguém quer ajudar-me? Maxilar muito, muito forte, para uma boa e gostosa dentada... Mas posso estar enganada, parece que o meu instinto não anda grande coisa para estas questões...

 

Beijos!

 

 

publicado por Trintona(inha) às 00:34
sinto-me: Bem
música: Jorge Palma - Olá (Cá estamos Nós Outra Vez)

05
Out 08

 

For the record... Não recebi a mensagem desejada. Mas não estou triste com isso. Aprendi um pouquinho a ser paciente. Se amanhã também não receber, na terça vou ter oportunidade de dizer algo, ao vivo. Tenho que ir pensando no quê.

 

O fim-de-semana foi muito saboroso... Despedida de praia... Passeio pela zona histórica de Lisboa... As comprinhas da ordem... umas roupinhas também... ;-)

 

O dia hoje já vai longo... e amanhã a alvorada é bem cedinho... A inspiração hoje não vem, quem sabe o dia de amanhã não me reserva alguma surpresa bem gostosa e ela surge, no seu melhor...

 

Beijos!!!

 

 

publicado por Trintona(inha) às 21:50
sinto-me: Bem
música: António Variações - É p'ra amanhã

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

13
14
16

19
21
22
23
24

26
28
29
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO