Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

29
Ago 09

 

 

Hum, ok, sim... Eu dispenso o bolo... Fico só com o resto!

 

;)

 

 

 

 

publicado por Trintona(inha) às 15:13
sinto-me: Bem!
música: Happy birthday!

26
Ago 09

 

Um dos livros que li nas minhas férias continha cinco frases como guideline´s para uma vida melhor. Mais feliz.

 

Uma delas, a que eu considero a mais proveitosa, ao fim de algum tempo de treino, implica deixarmos de nos preocupar com coisas que não valem a pena. Quantas vezes fazemos uma tempestade num copo d'água? Quantas vezes nos preocupamos horas a fio, ficamos até deprimidos com algo que nunca chega a acontecer? E até que ponto adianta fazermos futurologia quando, na maior parte dos casos, nada podemos fazer para prevenir ou mesmo minimizar os estragos?

 

Pois é. Deixei de o fazer. Ou melhor, às vezes ainda me preocupo, mas evito ao máximo. E até já consigo mesmo, depois de uma fase inicial, não pensar mesmo. É bom, liberta-nos o pensamento para questões mais proveitosas. E também nos traz a fantástica capacidade de curtir mais o presente.

 

Relacionado com este livro, com outros e com outras vivências, voltei a acreditar no amor. De certa forma, no amor tal como acreditava nele na adolescência. Voltei a acreditar que é possível duas pessoas quererem dividir o dia-a-dia, envelhecer ao lado uma da outra, ver os filhos e os netos crescerem. Acredito que é possível quererem, tal como acredito que todas as leis universais das probabilidades estão contra essas pessoas. Daí ser tão especial isso acontecer, bem assim como tão raro...

 

Mas ao menos, pelo meu bem e das duas criaturas que se encontram a meu cargo, pois será nos exemplos que eu dou que um dia eles se verão, voltei a acreditar que é possivel.

publicado por Trintona(inha) às 18:55
sinto-me: Muito bem!
música: Halo - Beyoncè

14
Ago 09

 

Adoro música. Penso que a vida não seria a mesma sem música. Os meus tipos de música favoritos são muito mainstream, nem tenho pretenções a ser "chique" na música que oiço. E, embora leia, ouça e fale bem o inglês, muitas vezes só entendo completamente o que oiço quando abro um site de letras e leio com tranquilidade os versos da música.

 

E duas das cantoras que muito me surpreenderam hoje foram a Shakira, com o seu "She wolf" e a Beyoncè, com o "Single Ladies". São duas canções que mostram duas mulheres que vão em busca de algo diferente quando o que têm não lhes dá a atenção devida.

 

Fossemos todas assim e todas tivessemos coragem de o assumir. Teríamos menos problemas no mundo. Ou talvez outros diferentes.

publicado por Trintona(inha) às 15:08
sinto-me: Bem e em paz
música: Shakira - She Wolf

11
Ago 09

 

É bom ter bons amigos. Bons amigos podem ser aqueles que perguntam "Estás bem?" e se nós respondemos "Óptima" com umas olheiras até ao queixo e os olhos inchados, respeitam essa ausência de vontade de falar sobre o assunto. Ou podem ser aqueles que metem o dedo na ferida. É bom ter das duas opções. E é bom que a segunda opção seja um amigo mesmo.

 

O que se tem revelado ultimamente um amigo do segundo género fez-me uma das mais complicadas perguntas que me têm feito. Aliás, toda a gente resolveu fazer-me perguntas deste género ultimamente. Mas é bom. Para me fazerem pensar. Eu não digo que são amigos?!

 

"Sentes-te completa?"

 

Que pergunta. Sim, sou feliz. Tenho muitos momentos de felicidade, mesmo que esteja sozinha, a contemplar o mar, ou em casa, a arrumar algo, ou a ler um livro, ou a tomar um café numa das minhas esplanadas-vício. Se me sinto completa. Que raio de pergunta. Eu tento fugir, pergunto-lhe se ele se sente completo. Ele é mais forte do que eu pensava, diz-me que não mas não me deixa fugir à pergunta. "Ok, és feliz, mas sentes-te completa?"

 

Fiquei uns dias a pensar na questão, talvez não a querendo encarar de frente. E hoje, volta à carga. Pergunto-lhe o que é isso de ser completa mas dou-lhe a resposta. Tenho os filhos que sempre quis ter, tenho uma casa que adoro, tenho uma profissão que gosto de exercer e que está a tomar o rumo que sonhei para ela durante 12 anos, tenho um carro que não é nada de fantástico mas que não me deu problemas até hoje, tenho uma personalidade que me agrada, um corpo que aprendi a aceitar e a melhorar, bons amigos e amigas... Sei o que me falta para me sentir completa. Mas por um lado, acho que é impossível de obter. Por outro, custa-me abrir a boca e proferir as palavras em que tentei nem pensar durante tanto tempo: falta-me um verdadeiro companheiro de vida. E ele acrescenta: "Mereces alguém que te ajude nos momentos maus, que divida contigo os bons, que te ajude a criar os teus filhos, que te dê amor..."

 

Eu aceito. Aceito mas não acredito. E agora fico com vários problemas a braços.

 

O primeiro é o de não aceitar uma relação em que não há confiança. Vejo o meu passado, olho à minha volta, vejo as minhas amigas e colegas e não vejo um homem, um, capaz de respeitar, de ser leal, de ser fiel à "companheira de vida". O próprio que profere estas palavras está longe de o ser também.

 

O segundo é que, se aceito esta filosofia de vida para mim (e reparo que depois de consciencializar isto não me restará muita escolha) não tenho saída. Quero um "companheiro de vida" para mim. Não aceito um que não me seja leal. Não acredito em "companheiros de vida leais para sempre". Como faço?

 

O terceiro é que esta postura vai obrigar-me a repensar muito do que se passa na minha vida actual. O que até agora tem sido o suficiente vai deixar de ser. Mas não vai poder esticar até ser o que eu preciso. Segundo as palavras de dois bons amigos, o que eu mereço. Tinha o título do post guardado no meu email desde o dia 22 de Junho, que é um excerto de MSN. Sabia o que queria dizer mas não queria encarar os factos. Dói. Dá vontade de chorar. Era tão bom que os problemas simplesmente se afastassem e não me tentassem mais. Mas ia doer na mesma. Eu sabia no que me estava a meter. Não quis ver.

 

publicado por Trintona(inha) às 21:52
sinto-me: Triste...
música: Keane - Bend and break

06
Ago 09

 

Partilho aqui convosco um pensamento que li, que, obviamente, não conhecia na íntegra, e que achei fantástico.

 

 

"És um convidado neste planeta e, como tal, espera-se que o deixes como o encontraste ou, em todo caso, em melhores condições.

És responsável por cuidar de todas as demais formas de vida que não podem falar, nem responder por si mesmas.

És responsável por todas as promessas que fazes, os acordos que aceitas e os resultados dos teus actos, e deverás assumir as consequências de tudo isto na tua evolução eterna.

A maior de todas as virtudes é o amor.

Neste mundo que repousa sobre a força, a tirania e a violência, tende como missão seguir o caminho do amor.
Descobrireis, assim, que o amor, desarmado, é a força mais poderosa do universo e da vida."

Martin Luther King

publicado por Trintona(inha) às 00:31
música: Nada hoje

Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
27
28

30
31


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

47 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO