Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

23
Dez 10

 

Este post é só para gajas... (ou gajos que gostem do material exposto!)

 

Agora fora de brincadeiras, este post vem para desejar a todos (todos)

 

um Excelente Natal, com tudo o que cada um desejar...

 

 

 

publicado por Trintona(inha) às 16:23
sinto-me: Natalícia!
música: Jingle Bells - Diana Krall
tags:

15
Dez 10

 

 

... oiço a frase "Se quiseres levar isso para Tribunal apita que eu faço andar as coisas"

 

... quando o vejo trazer um cabo para a tv

 

... quando me ajuda a limpar a cozinha

 

... quando oiço a frase "Não tens sinal de stop. Eu depois trago uma lâmpada e mudo isso"

 

... quando oiço "Estava a pensar mudar de carro, mas se calhar é melhor não, a família pode crescer agora..."

 

... quando aprovo a situação da escova de dentes!

 

... das primeiras vinte vezes que ouvi a palavra "namorada" aplicada à minha pessoa...

 

 

publicado por Trintona(inha) às 20:33
sinto-me: Muito Bem!
música: Seal - Secret (fabulosa!)
tags:

01
Dez 10

 

Ao longo dos meus 34 anos de vida, muitas pessoas deixaram, como em todas as outras vidas, marcas indeléveis.

 

Por vezes, em conversa com algumas delas, com as que, obviamente, mantenho contacto, falamos sobre esses momentos em que elas me marcaram. Na maioria das vezes, elas nem se lembram da conversa que tanto me marcou. Sei que o oposto também acontece, já mo disseram várias vezes.

 

 

Por vezes, porque me falaram num livro que mudou a minha vida: "P - A Profecia Celestina"

 

Outros, porque me falaram num outro livro: "M - O alquimista"

 

Outras, porque me disseram uma frase: "O - Tu mereces alguém que te mereça"

 

Outras, porque me disseram uma outra frase: "G - Ainda continuas a escolher com os olhos e não com o coração?"

 

Outras, por existirem na minha vida: "L & L"

 

Outras, por me ajudarem a reconhecer os meus limites, para não mais voltar a ultrapassá-los: "M"

 

Outras, porque me supreenderam com uma pensamento: "L - Estava ali a olhar para si, assim, com os cabelos de lado e pensei «Como é bonita esta rapariga»"

 

Outros, porque me mostraram que o meu auto-conceito, aos 16 anos, estava muito errado: "M - O que é que a menina está a dizer? Não vai para o ensino superior porque? Fique calada e não diga asneiras"

 

Outras, porque me fizeram tomar o rumo profissional que hoje tenho: "A - Não queres vir fazer os pré-requisitos comigo?"

 

Outros, porque me mostraram que nós próprios nunca nos vemos com a objectividade com que os outros nos vêem: "P - Não sei o que é que vocês mulheres vêem em mim, eu olho-me ao espelho e não vejo nada disso"

 

O meu pai, que sempre me ensinou a pescar e raras vezes me terá dado o peixe. Se não fosse ele, provavelmente, hoje não saberia instalar uma ficha, montar um candeeiro ou uma torneira.

 

 

Muitas vezes o acaso que coloca esta ou outra situação no meu caminho: conhecer todas as pessoas que conheci, todas as experiências porque passei, todos os desafios que ultrapassei e todos aqueles que fui obrigada a reconhecer que não conseguiria solucionar...

 

 

 

Apesar de anónimo, o meu muito obrigado a todos eles.

 

 

 

 

publicado por Trintona(inha) às 14:21

Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17
18

19
20
21
22
24
25

26
27
28
29
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO