Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

30
Ago 11

 

Tenho um ex que vacila entre uma relação civilizada e um rol de "insultos". Tudo relacionado com a forma como ele "me" sustenta, porque a juíza concordou com o valor que eu sugeri e não com o dele. Gostava um dia que ele me explicasse como é que ele propunha que eu criasse os meninos com aquele valor, participação dele. Mas adiante. As PSP, as Wii, o smart phone e o Dodge Journey são muito mais importantes que os filhos.

 

Tenho uma actual-do-ex que acha que o banho diário é imprescindível, lavar os dentes não. Vestir roupas lavadas todos os dias (incluindo calças de ganga, Deus a livre de usar umas calças de ganga duas vezes sem lavar!) mas comer fruta ou sopa pode ser só nos dias especiais. Leia-se Natal e aniversários. Ah, não, espera, isso é dia de doces. Ah, ok, não faz mal. Não comem.

 

Tenho encarado estas pequenas questões pensando que é o meu castigo em ter escolhido este homem para pai dos meus filhos. O problema é que os meus filhos também sofrem com esta minha escolha...

 

Mas ontem pensei numa nova forma de encarar esta questão. Uma forma de não ficar com o dia estragado quando recebo um SMS, um mail ou uma chamada com conversa completamente desnecessária sobre as minhas finanças, a minha capacidade maternal ou as minhas escolhas: eles só me tentam atingir porque sentem alguma coisa em relação a mim. Se sentissem a mesma indiferença que eu sinto em relação a eles, nem se lembravam que eu existo e não sentiam necessidade de me atingir. Inveja? Talvez... Dizem que dói...

 

publicado por Trintona(inha) às 10:18

29
Ago 11

 

"Parabéns a você, nesta data querida..."

 

Hoje faço 35 anos.

 

:-)

publicado por Trintona(inha) às 18:29

05
Ago 11

 

Li, para não variar, com 13 anos de atraso, um livro. Suponho que Paulo Coelho é intemporal, por isso, não fui assim tão atrasada quanto o número faz parecer.

 

O livro é, como todos os que escolhi ler dele, bom para repensarmos a nossa vida. Usa um artifício que eu uso algumas vezes para tomar algum tipo de decisão: se eu só tivesse um mês de vida, o que escolheria? Sim ou não? Olá ou adeus? Beijo ou estalo?

 

E filmes, vi alguns também. "O Discurso do Rei", que, novamente, nos faz pensar que o que é tido como adquirido por alguns causa tanto transtorno a outros. Gostei muito. Não percebo porque algumas pessoas dizem que é seca.

 

Volto para Lisboa daqui a 16 horas. E volto a partir. :-)

publicado por Trintona(inha) às 18:24
sinto-me: GOOD
tags:

Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO