Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

21
Mar 09

 

Muitas vezes me interrogo em que é que as novas tecnologias vieram mudar as relações humanas, mais propriamente a comunicação entre eles.

 

Não me interpretem mal, sou fã incondicional do MSN, do Hi5, das SMS, do próprio telemóvel... mas creio que estas novas formas de comunicação vieram alterar e muito a forma como as pessoas assumem a comunicação olho-no-olho.

 

Quantas vezes não temos um assunto difícil de abordar, não conseguimos fazê-lo cara-a-cara e esperamos ou provocamos uma "comunicação" à distância para o fazer?

 

Quantas pessoas perderam já a capacidade de manter uma conversa sobre os seus próprios sentimentos? E estas próximas gerações, chamemos-lhe "Geração Magalhães"... que "nasceram" já com a capacidade maravilhosa de manusear um telemóvel ou um portátil mais habilmente do que pessoas que nasceram o século passado?

 

Penso que esta questão não traz benefícios a ninguém de forma individual, nem a nós, como sociedade. Não fomenta a frontalidade, nem a sinceridade, nem a coragem de falar sobre assuntos incómodos para nós ou que sabemos causar sofrimento no outro.

 

Gostava de ler algo sobre isto, mas não sei o que existe. Acho que vou fazer uma pesquisa.

 

Beijo!

publicado por Trintona(inha) às 16:23
sinto-me: Inquisidora!
música: Pink - So what

7 comentários:
Boas tardes,
Econtrei este blog por acaso e devo dizer..gostei imenso..continua com o bom trabalho .
Cumprimentos.
Fernando a 22 de Março de 2009 às 15:53

Olá Fernando!

Obrigada pelas palavras!

Tentarei continuar, continua com as visitas!!!

Beijo
T
Trintona(inha) a 22 de Março de 2009 às 17:42

Olá T
Tudo bem? Já estava a ficar preocupado com a ausência de posts!!

Bem relativamente a este assunto, Por um lado penso que esta malta nova sao uns sortudos, "nós" somos do tempo em que tinha-mos de ir a casa uns dos outros tocar a campainha para ir brincar na rua, hoje "eles" já nem saem de casa, a minha opinião é que se está a tornar numa geração cada vez mais egoísta em que se ficarem uma semana sem telemóvel ou computador não são ninguém.
Gonçalo a 23 de Março de 2009 às 08:14

Olá Gonçalo

"Nós" bem que tem de levar aspas!!! Tu lá és do tempo em que ainda se brincava na rua!!! ;)

O meu problema nem é só não serem ninguém... Parece-me que se estão a desabituar de falar olho-no-olho... falar ao vivo, não pela webcam... Depois são obesos... Não admira...

Beijo!
Trintona(inha) a 24 de Março de 2009 às 23:56

E a falta de coerência no discurso?
Parece que estão a saltitar entre palavras e entre assuntos, sem conseguirem verbalizar uma frase que faça sentido.
Na net falam de qualquer coisa e até dos pormenores mais íntimos sem qualquer complexo, mas com tantos códigos (lol, rsrsrsrs, :-), :-(, etc.), que depois, ao vivo, não sai nada em condições. Como se faltasse uma tecla qualquer.
Nós líamos livros sem erros ortográficos ou gramaticais, os desenhos animados e as séries juvenis não tinham dobragens, só legendas em português de Portugal, escrevíamos cartas (quantos rascunhos se faziam, caramba) de amor, de amizade ou para a família... sem códigos, abreviaturas e outras coisas que tais.
E quando contamos estas histórias ou mostramos exemplos aos miúdos, eles ficam a olhar para nós num misto de fascínio e terror, como se tivessemos uma verruga tremendamente cabeluda mesmo ao lado do nariz.
Miguel a 25 de Março de 2009 às 13:51

Olá M

Respondo-te logo salvaguardando que, conforme se pode verificar pelo próprio blog, eu também uso muitos :) :D :S... e no MSN uso muitas abreviaturas. Mas, na minha vida profissional escrevo bastante e sempre me habituei a escrever correctamente. Confesso que me custa muito ler - e tenho que ler em voz alta para entender - aquelas frases repletas de "k" e de "x"... Mas ao vivo ainda saem umas coisas decentes.

Escrever uma carta, mandar no dia seguinte e esperar uma semana, coisa de que também já só tenho memórias vagas lol ) é coisa que esta geração Magalhães nem consegue compreender... Lá terá as suas coisas positivas.

Beijo!

Fast enough ? ;)

Não costumo criticar nem mandar bocas a quem usa aqueles conjuntos de caracteres para expressar um sentimento, uma expresão ou uma reacção que na escrita não faria muito sentido.
Só me aborrece quando, por exemplo
alguém dix (lol) que se excreve axim (rsrsrs) pk xe tem a intenxão de enfantijar (loooool) ax palavrax que maix xignificado têm no contexto (;-D
Quando, por vezes, estou ao pé do filho de 14 anos, quando ele está a usar o msn com algum amigo, até sinto orgulho, porque ele responde com texto coerente ao texto incoerente que recebe e, pasme-se, compreende.
O exemplo das cartas, bom, eu ainda tenho as cartas que recebi, quem quer que tenha sido o remetente. E de vez em quando releio-as. Alguém hoje relê um e-mail de amor ou de amizade?
Estamos, de facto, e como já diziam os Táxi na celebrada "chiclette" do início dos anos 80, "... a sociedade de consumo imediato...", "...que se prova, mastiga e deita fora, sem demora..."
Miguel a 26 de Março de 2009 às 14:10

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
28

29
30


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO