Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

15
Mai 09

 

 

Descobri hoje (sim, sim, hoje, ando sempre atrasada nestas questões) que o Elton John vem a Portugal para um concerto no Estádio do Restelo. Como não me mexi para arranjar companhia para ir ouvir (e ver :D) a Beyoncé, pensei que, para este, talvez tenha tempo de arrastar alguém para o ir ouvir comigo...

 

Mas depois ocorreu-me... como será a audiência de um concerto dele? Maioritariamente heterosexual ou vou passar o concerto todo a ver homens lindos, sensíveis e românticos abraçados uns aos outros e a beijarem-se?! Se é isso, não vou!!! :P

 

 

 

publicado por Trintona(inha) às 15:53
sinto-me: Brincalhona!
música: How you remind me - Nickelback

05
Mar 09

Fiquei aborrecida sobre o rumo que tomou este blog nos últimos dias. Para ser sincera, deixou-me com pouca vontade de escrever.

 

Mas como tudo na vida tem as suas fases, espero que esta seja só mais uma e que eu consiga pôr "uma pedra sobre o assunto".

 

Apenas como "esclarecimento", quando eu mencionei "escarrapachar" a experiência, não me referia, obviamente, aos pormenores explícitos sobre os actos em si. Referia-me, isso sim, ao desabafo de que a experiência teria ocorrido e se foi bom ou mau, se ela era o que eu esperava ou não. Sei que é um fetiche de uma esmagadora maioria dos homens, observar duas mulheres "a fazer amor", ou chamem-lhe o que quiserem. Mas, believe it or not, esta minha vontade nada tem a ver com os vossos desejos voyeuristas ou de mènage à trois. Seria ou será, por mim, apenas uma coisa entre eu e ela. Nada mais.

 

Até à próxima, se a houver.

 

Beijos

T

publicado por Trintona(inha) às 13:58
sinto-me: Triste...
música: Hoje ainda menos!

20
Jul 08

 

Bom, onde há fumo, há fogo.
Quando se diz que uma mulher de trinta ou mais e um homem de vinte é explosivo, parece que é verdade... O que lhes pode faltar em experiência e know-how pode ser perfeitamente compensado com performance e vontade de aprender...
 Bom, como já deu para perceber, uma das minhas saídas correu muito, muito bem... O vintinho era muito giro, apetecível... Sem conversa da treta, sem confusões, sem compromissos, sem complicações... Isto já parece o anúncio do Pingo Doce! Mas é mesmo assim. Penso que uma das vantagens desta faixa etária é mesmo essa. Um quarentão, por exemplo, ou é casado, ou é divorciado, ou solteirão... Ou está cheio de vícios, postos pelas ex-namoradas, pelas ex-mulheres ou pelas mamãs... Um vintinho está interessado na experiência e nada mais. A parte física correu muito bem, para já fiquei satisfeita (não, não estou a falar da parte sexual propriamente dita), mas será que, a longo prazo, é isto que quero?
Penso que não. Preciso de alguém que me saiba cortejar, alguém que saiba o que é dirty talk e que saiba aplicá-la na altura certa, com as frases certas (que isto não se ensina...), alguém que, quando me abraça, sinto que me protege contra tudo e todos. Mas depois, é precisamente esse tipo de homem que está comigo e com mais duas ou três ao mesmo tempo... E eu prometo a mim própria não ser assim, não ser leal a quem não o é para comigo, mas o primeiro pensamento é de, imaginando-me com alguém, pôr todos os outros de parte...
Porque é que eu sou assim? Será que não há homens interessantes e leais? É uma pergunta meramente retórica... Tenho 31 anos (quase 32 :-D). Mesmo que consideremos que só comecei a namorar aos 14, o que nem é bem verdade, são 17 a conhecer o sexo oposto. 17 anos de um conhecer homens (não todos por experiência própria, claro...) e todos eles não desperdiçam uma oportunidade. Isto quando não a procuram activamente...
Não sei que escolhas vou fazer no futuro. Se vou alguma vez sentir a necessidade de "estabilidade" pela qual muitas mulheres fecham os olhos ao que os maridos fazem. Para já não. Não estou disposta a ceder esse meu sossego. Não sei se encontrarei algum dia um homem que me agrade e que aceite, de bom grado, o que tenho para oferecer. Às vezes, penso que é pouco. Às vezes penso que, para alguns, é ouro sobre azul. Não sei. Ainda não encontrei o homem cujo perfil me faz desejar saber se lhe chega.
Continuo sem o número do Labrador. O favor deu azo a uma longa conversa, mas não se proporcionou troca de números. Soube mais alguns pormenores que mais me aguçaram o apetite. Se chegar a ser, é para ir com calma. Tem 43 anos, faz 44 vinte dias antes de mim... Casa própria, longe dos pais... Dá-me a sensação que está interessado, mas talvez não me queira afugentar... Afinal sempre tem mais 12 anos que eu... (Não, Miguel, gay não é, isso acho que eu conseguia detectar...) E claro, quando lá vou, estou sempre rodeada dos meus filhos, com a minha mãe...
O Rafeiro2 fez-me um convite, que não vou aceitar. O Rafeiro1 voltou a não dizer nada, um dia destes lembra-se, não sei se julga que estou à espera dele. Sinceramente, nem quero saber...
A minha amiga do peito (bom, dos dois...) voltou a sugerir um encontro. Se, por um lado, sinto curiosidade, por outro fico a imaginar o momento e penso que, a certa altura, vou sentir falta de qualquer coisa (não posso nomear, senão caio na pornoxaxada :-P)... Tive vontade de lhe perguntar se ela não sente, mas achei que seria muito atrevido. Talvez ainda esclareça essa minha dúvida.
O meu local de trabalho continua um deserto em termos de homens interessantes. Pode ser que, na próxima semana, a vida me reserve algumas surpresas...
Beijos
Trintinha
 
 
publicado por Trintona(inha) às 21:25
sinto-me: Bem
música: Pedro Abrunhosa - Eu estou aqui

23
Jun 08

 

 

 

 

Hoje não me apetece tecer considerações acerca das diferenças entre homens e mulheres... sobre o que nós queremos deles ou o que quer que seja...

 

Apenas partilhar convosco um dia muito bom, muito calmo, partilhado com os miúdos...

 

Tal como tinha prometido a mim mesma, recomecei a ler... E o que é que eu fui comprar? "A Família em Primeiro Lugar: O plano, passo a passo, para criar uma família feliz"... Provavelmente ainda vou aqui partilhar convosco algumas ideias do livro...

 

 

E posso partilhar ainda um convite que tive, de uma outra mulher... lindíssima... interessada em conhecer-me...  :-/  Este convite levantou-me, a mim, que sempre disse que não queria morrer estúpida (tradução para os mais desatentos: experimentar as lides da homossexualidade feminina), várias questões... Serei eu alguma vez bissexual? Porque homo restricta não estou a ver... O que é que eu fazia se tivessemos uma oportunidade verdadeira? Nem sei bem... Mas que ela é linda, lá isso é... O avião que eu sempre disse que não me importava de experimentar... Bem... e agora, com mais esta dúvida existencial, vou dormir, porque já é tarde e amanhã é dia de labuta!

 

 

Bjs

Tritona

 

 

publicado por Trintona(inha) às 00:10
sinto-me:
música: Clã - Problema de Expressão

Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
blogs SAPO