Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

20
Abr 11

Fiz os 12 anos da minha instrução "básica" em 12 anos. Fiz o bacharelato em 1 ano. Fiz o ano para equivalência à licenciatura em 1 ano. Estou a oito semanas de acabar um mestrado de 2 anos em dois anos. Toda a minha vida trabalhei, desde os 20 anos de idade, já na profissão que tenho agora. No 12º ano, como a minha escola só o tinha à noite, fui trabalhar para um restaurante. Fez-me bem, cresci. Não fujo aos impostos. Vou perder subsídio de Natal e de férias, no supermercado pago mais 20% do que o ano passado, gasolina não se fala, EDP, água, gás upa upa.

 

Se fico com vontade de dar um estalo no focinho de uma miúda a quem os meus impostos já pagaram um aborto, lhe pagam a contracepção sempre que ela o deseje, e que me diz que quer engravidar aos 17 anos, não tem namorado mas que "namorado arranja-se"?!

 

Se me tenho de segurar quando me responde que as amigas da idade dela que têm filhos pequenos não trabalham, vivem "à conta" da Segurança Social?

 

Tenho. Tenho de fazer um esforço sobre-humano.

 

E continuo a achar que não sou eu que estou errada. É este facilitismo, que seria igual para quem cá nasceu, mas que existe também para quem está em Portugal há meia dúzia de meses e nunca contribuiu com um tostão para a Segurança Social que os sustenta.

 

Dá vontade de lhes bater. Aos que mamam e aos que inventaram este mamar.

publicado por Trintona(inha) às 18:22
sinto-me: revoltada!!!

20
Jul 10

 

 

Quando tento explicar a um amigo que estou em "retiro espiritual", a questão torna-se inevitável.

 

 

Porquê. Por causa do meu estado de saúde?

 

 

Não

 

 

Porque...

 

ou são burros

 

ou são maus (mt maus) na cama

 

ou são feios

 

ou têm um trabalho super-desinteressante que não lhes permitiu ainda (aos 40!) sair da casa da mãe

 

ou não têm educação

 

ou só pensam na própria pila

 

Haviam mais algumas alternativas a citar, mas...

 

 

 

...estou cansada!

publicado por Trintona(inha) às 23:55
sinto-me:
música: Keane - Sunshine

27
Set 09

 

 

A seguir a este fim-de-semana preciso de outro só para descansar. Desde natação, bicicletas-Cascais-acima-Cascais-abaixo, parque em dose dupla, shopping em busca DAQUELA mochila, estou de rastos. Claro que a saída nocturna não ajuda ao corpo mas ajuda ao equilíbrio da mente. Sou mãe mas também sou mulher.

 

Por último, momento de lazer para esta mãe esgotada e entro na FNAC. Meio minuto a olhar para a prateleira dos autores que tenho lido ultimamente (sim, tenho lido!) e escolho um livro que já devia ter lido há muitos anos, escrito na década de oitenta. Abro, folheio, acho bom e trago-o. Quando começo a ler ainda me surpreendo com as "coincidências"... Não só é a minha situação actual como me faz compreender umas quantas coisas que se passam e eu não entendia porquê.

 

E mais tarde, antes de escrever este post, converso um pouco e surge a frase que motivou a escrita: "Nós temos tolerância 0 para tretas nas relações". Pois é, é como me sinto, sem tirar nem pôr. Há muito muito sentimento, muita vontade, mas pouca paciência para tretas... E nem de propósito, o WMP toca "Gravity". Música fantástica, que associarei sempre a esta pessoa que me põe a escrever assim... E fico com medo de não ter a força necessária para, amanhã, tomar a decisão certa e portar-me à altura...

 

publicado por Trintona(inha) às 18:15
sinto-me: Sad
música: Sarah Barreilles - Gravity

Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

47 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO