Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

15
Out 08

 

Como já aqui anteriormente escrevi, preciso arrumar os pensamentos acerca dos rafeiros. Apesar de já ter tido umas luzes acerca da perspectiva masculina sobre os porquês, falta-me «arrumar as prateleiras» dos motivos pelos quais este tipo de situações ocorre. Sei que não é um exclusivo meu (se assim fosse, ia para freira, mais valia!), mas já me aconteceu demasiadas vezes para o meu gosto.

 

Quais serão os motivos que fazem um homem interessar-se por uma mulher, dar-lhe a entender isso, falar-se sobre o assunto, chegar mesmo a sair (se for esse o caso) e, de um momento para o outro, sem aviso ou explicação, não voltar a dizer mais nada? Ou, pior, voltar passadas umas semanas como se nada fosse, a querer combinar «um café»?

 

Para mim torna-se particularmente difícil de analisar, uma vez que não costumo «prometer» o que não pretendo «cumprir»...

 

O primeiro motivo que me ocorre, claro, é terem mudado de ideias pela mulher em si. Neste caso... eu :-D Ok, pode acontecer, claro. Sei lá... Alguma ideia que se expressa que não agrada... A existência de filhos, que nunca escondi, mas pode fazer mudar de ideias mais tarde... Não costumo ter queixas, mas alguma questão física que me ultrapassa... Tudo isto seriam ideias perfeitamente aceitáveis, se não tivesse ocorrido, em todos os casos, os tais convites-descontracção depois... Se essas questões se colocaram alguma vez, não se iam esfumar no ar, não é?

 

O segundo que me ocorre é a existência de uma lista de «projectos». Assim como eu a tenho, é justo que eles também a tenham. E claro, pode haver sempre um «projecto» cujo lugar na hierarquia subiu vertiginosamente... E este motivo fornece uma boa explicação para os convites... Esses projectos tiveram o seu fim e foram-se reciclar os restantes da lista... É justo, mas convém que, das duas uma... ou sejam deuses gregos para que sejam perdoados... ou, pelo menos, sejam mais honestos... Não venham com a treta das impossibilidades, de que o gato comeu o telemóvel e se ficaram 7 semanas sem contactos, que ninguém engole...

 

Uma outra é a do flirt apenas pelo flirt... Entendo que os homens achem piada a uma resposta física favorável de uma mulher que consideram um avião, como eu costumo dizer... Claro que sim... eu também fico louca quando isso acontece... Mas se esse Boing 787 me retribui com o mesmo tipo de resposta aos meus avanços, eu quero ir até onde puder... The sky's the limit! Porquê parar na descolagem?!

 

Uma outra hipótese é serem "comprometidos" e, perante a hipótese de uma traição à cara-metade bem real, bem física... fiquem com medo e não avancem. Considero esta hipótese muito remotamente possível, já que, das situações que conheço, eles dizem que se é para serem «apanhados», mais vale que seja por tudo do que só por uma saída ou uns «amassos»... Mas penso que é a melhor explicação para um dos meus rafeiros de estimação... :-P

 

Não me ocorrem mais motivos... Mas adorava saber a opinião dos de Marte... ;-) Não pensem os meus amigos que, por reflectir sobre isto hoje, que estou deprimida... Estou bem, aceito as partes menos boas da vida para poder crescer, aprender com os erros e assim, verdadeiramente, evoluir.

 

Beijos!

 

 

publicado por Trintona(inha) às 22:18
música: When you really love a woman - Bryan Adams
sinto-me: Na boa!

14 comentários:
Antes de mais um maravilhoso bom dia (sorriso)
Pois é verdade, as tuas considerações do porque e os não porquês, senti que tinha de alguma forma de intervir, para que não fiques com essa visão de “rafeiros” sobre a petulância de alguns homens.
Sendo assim, vou tentar descrever um conjunto de outras formas de encarar o problema, se é que é realmente um problema (sorriso).
a) Homem pretende apenas uma relação de amizade
Ora bem, esta é uma situação algo caricata, que é o facto de um homem pretender apenas uma relação de amizade, e como tal sai com uma mulher, da mesma forma que sai com os amigos, de quando em vez, sem compromissos de isto ou aquilo. Sendo deste modo, tipo sair para um café apenas para conversar, ir ao cinema ou algo desse género, e depois passado uns tempos fazer de novo.
Aliás em temos longínquos, e tendo em consideração que tinha bem mais amigas do que amigos, costumava sair com elas sem qualquer compromisso. Era capaz de sair hoje e depois só voltar a sair passado um mês. Contudo, também é verdade que dava sempre feedback. Ou seja, se alguém me falava… mesmo que passado algumas horas, responderia sempre. Para aquelas moças que realmente não estava a fim… ai preferia dizer “tete-a-tete”, mas claro isso sou eu, tenho noção que não pertenço à maioria.
b) Homem pretende apenas amizade e depara-se com luxúria (risos)
Estou-me a rir, porque apesar de parecer mentira, existe por ai muito homem que acredita ainda que é possível ter uma relação com uma mulher baseada apenas em amizade. Enfim, com a idade, já me apercebi que isso é completamente irreal. A relação entre homens e mulheres são do tipo a relação do HOMEM com obras de arte, quando se gosta de alguma… a relação afectará para o bem ou para o mal para sempre a vida desse homem e mulher.
Como tal, pode ser que alguns pretendam sair contigo de uma forma tipo, sair para divertir-se e tal, e depois quando começam a ver desejo, a crescer da sua parte ou da tua parte… “voila”… amedrontam-se e fogem a sete pés. Não te esqueças que hoje em dia as pessoas têm cada vez mais dificuldades em assumir seja qualquer tipo de compromisso.
c) Homem sai contigo mas simples não existe “click”
Tendo em conta a saída, e que todos nós como seres humanos de uma forma ou de outra somos todos diferentes. Pode ser que ao saírem, sintam que o que pensavam que existisse… de alguma forma não existe. E por isso saltam do barco.
Claro que podiam sempre enviar mensagem, etc e tal. Mas convínhamos que educação é algo que na realidade está associado a uma minoria de população.
d) Homem pretende mais, mas não consegue
Esta também é uma boa visão, que de facto se trata de um homem ao sair contigo, tendo em conta que tens uma filha, pensa que estás suficientemente esfomeada para o denominado “one-night-stand”, contudo por inerência dos factos nada acontece. E como têm a perspectiva que em Portugal a situação é de 7 para 1, partem logo para outro. (Eu sei é triste… mas a realidade é mesmo essa)

Acho que já dei suficientes motivos, para em primeiro lugar deixares de pensar que poderá ser algum problema teu. A vida tem dessas coisas, o importante é aprender com o que não correu lá muito bem para melhorar, e com o que correu bem também aprender também para melhorar ainda. É sempre possível melhorar na minha óptica. Acima de tudo, é necessário que tenhas também noção do país que estás. Tendo em conta por exemplo que em Portugal, para a grande maioria das moças é necessário “dar a cantiga de bandido” para uma relação aleatória sexual. Digamos que está muito enraizado o fenómeno da mentira neste mesmo país. Talvez por isso é que Portugal na sua generalidade esteja como está, de qualquer forma. E sabendo que tu tens uma visão de diferente sobre o que é um relacionamento…. Como “amigo” virtual poderei dar-te apenas um contexto:
- Para os homens pode ser 7-1… mas a dificuldade é a mesma, encontrar a pessoa especial é de igual complexidade para ambos, apesar de contextos diferentes
- Ter uma relação seja a que idade for é complicado mediante a não só à pessoa no qual se relaciona, como também á experiência de vida que a pessoa vai ganhando ao longo dos anos. É um salto em fé… e hoje a única fé que as pessoas têm é de coisa materiais.
(cont.)
john4sex a 16 de Outubro de 2008 às 10:04

(cont.)
Tendo em conta estes pressupostos, posso apenas indicar-te que tudo tem o seu tempo, e quem sabe um quando menos esperares irás ter o que desejas, o importante é que entretanto a vida seja agradável sem réstias de ódios ou desalentos, viver a vida tais sentimentos é extremamente libertador.
Beijos
Cheers!
john4sex a 16 de Outubro de 2008 às 10:05

Olá John

Espero que estejas tão bem disposto como o teu «maravilhoso bom dia» demonstra... :- )
Passando às respostas às tuas sugestões:

1)Homem pretende apenas uma relação de amizade.
Em nenhum deles a abordagem foi essa. Já disse inúmeras vezes que tenho falta de amigos homens, daqueles a que posso ligar às 4h da manhã, quer seja porque preciso falar sobre algo ou porque fiquei sem gasolina a meio da estrada...

2)Homem pretende apenas amizade e depara-se com luxúria.
Neste frase imagino uma situação em que um pobre e inocente rapazinho sai comigo apenas por amizade e eu quase o violo num sítio qualquer... É isso? Também não dá para ir por aí. Com um deles, o mais provável é que tivesse sido eu verdadeiramente violada ou coisa pior. Um outro... Bom, ambos decidimos não ir por aí da última vez que estivemos juntos. Eu não preciso de compromisso, por isso, penso que não seria também essa a razão pela qual eles “fugiram”... Mas não é de esquecer que todos eles tentaram voltar...

3)Homem sai contigo mas simples não existe “click”. Entenderia na linguagem não-verbal, não? Gosto de acreditar que sou suficientemente inteligente para isso... Para além disso, porque tentariam voltar se fosse este o caso?

4)Homem pretende mais, mas não consegue. Ora aqui está uma perspectiva que ainda não tinha pensado... Se o barro não cola à parede logo na 1ª tentativa... parte-se para a outra. Não estou a dizer que foi sempre esse o caso, mas com um deles, pelo menos, é muito provável que tenha sido isso sim...

Obrigada John
Boas manhãs, tardes e especialmente noites... ;-)

Beijos!

Ora um bom dia :)
Faz-me lembrar aquele velhinho anuncio do “Diga bom dia com mokambu.. mokambu!” (sorriso), o que me deixa sempre de alegre nostalgia :). Sobre a minha boa disposição, essa usualmente é sempre bastante boa, contudo à sempre dias e dias não é verdade? Aliás como diz um psicólogo que agora não me recordo o nome, “a tristeza deverá ser vivida de uma forma tão saudável como a alegria, pois ambos sentimentos fazem parte do quotidiano do Homem”.
Entretanto irei tentar hoje escrever um novo post sobre as evoluções da minha vida.
Adiante, sobre a questão 1), fiquei algo estupefacto não tens nenhum amigo homem que possas ligar às 4am para conversar, ou então apenas porque estás em apuros? Fiquei algo surpreendido…. Pois penso que tal situação não é assim tão difícil. Se calhar tens que começar a mudar de local de encontre de Rafeiros e outros raças para encontrares homens. Talvez num coro de igreja, ou então em amigos de caminhadas ou desporto aventuras. Usualmente esses locais estão recheados de pessoas com uma postura positiva sobre a vida. Contudo não esquecer que isso terá que ser recíproco, ou seja, se te permites a ligar para esse jovem, espera também que te possam ligar de volta né? Eu já dei umas luzes, agora tens é que fazer por isso (sorriso).
2) Puxa… com quem é que andas a sair? A sério … Muda de ares! Está visto que andas a procurar mesmo em locais errados. Já agora alguns conselhos para a questão de avaliar homens e suas pretensões.
a) Analisar cuidadosamente o seu aspecto exterior e como se relaciona com outras pessoas, isso diz-me mais de 70% sobre o que é essa pessoa. Existe livros excelentes (usualmente em inglês) sobre “profilying”, que ajuda claramente a perceber como é essa pessoa. Outra forma é analisar a escrita dessa pessoa, a grafologia é uma ciência bastante exacta sobre o tipo de pessoa.
3) Uma das coisas que se calhar já deverias saber, é que grande parte dos homens é tipo os peixes, meia a volta já se esqueceram. Sobre o ser-se suficientemente inteligente para perceber isso, grandes parte das vezes não tem haver com inteligência mas sim com a fachada que muitas vezes os homens produzem para “conquistar” a respectiva mulher.

É verdade, tinha-me esquecida… outra situação pode ser “Homem sai contigo e fica intimidado”, isto tem haver com o facto de muitos homens, principalmente em países latinos sentem-se intimidados com uma mulher independente, é um pouco como isto…. Os homens usualmente aprendem que para serem bons para as mulheres, tem que ser fortes, não chorar, proteger a mulher.. etc… quando uma mulher releva-se independente, todos estes valores caiem por terra, e depois que mais propriedades têm para a conquistar? Pois… não é verdade? Faz-me lembrar aquele filme do “Hancock”, a moça era super-mulher mas fazia de conta que não tinha força para abrir a lata (sorriso).

Sobre a 4) opção, pois essa é opção mais comum para o qual muitas vezes as coisas não funcionam. Mas por outro lado, sinto que muitas vezes é a melhor opção, se no inicio não existe o tal click, realmente o melhor é tipo partir para outra/o.
Beijos e força ai!
Cheers!
john4sex a 17 de Outubro de 2008 às 09:14

Olá John

Boa tarde e deixa-me desde já agradecer-te pelos teus comentários, sempre generosos e esclarecedores!

É verdade, não tenho um amigo homem que possa ligar às 4h da madrugada seja para o que for. Claro que tenho noção que tem que ser recíproco. Quem me conhece sabe que outra das minhas máximas é «Amor com amor se paga».

Quando falava em inteligência para perceber algumas coisas sobre os homens, falava precisamente sobre inteligência emocional...

Sei que há muitos homens que se sentem intimidados por uma mulher independente e inteligente. Até hoje não consegui fingir que preciso de um homem para me mudar um pneu, montar um candeeiro, mudar um ralo de um lavatório, me entregar o IRS ou levar o carro à oficina. E, se só assim conseguir um homem... parece que vou ficar sozinha. Por dois motivos. Porque não gosto de mentir. E porque não me parece que esse tipo de homem me interesse. Portanto, se fogem de mim, por esse motivo, ainda bem que fogem. Mais tarde ou mais cedo iriam fugir. Quando vissem que estão ao meu lado porque deles só quero sentimento e e acção. A mim, parece-me bom. Mas a eles, parece que não. :-D

Espero o teu post.

Beijos!

Viva Trintinha,

Já que aproveitei o tempo para responder ao Miguel, obviamente não me poderia olvidar de ti. Desta forma, aquilo que gostaria de acrescentar é simplesmente “Não percas fé!”, ou seja, uma coisa são as generalidades que tentei descrever nos meus posts, outra é obviamente a velha máxima de cada caso é um caso. Não te direi que é impossível, contudo direi que será complicado, mas por outro lado… o que é que não é complicado nesta vida né? Desta forma, talvez quem sabe adoptes uma filosofia de vida do “vai na onda”… em vez de lutar contra a maré muitas vezes mais vale ficar-se na prancha apreciar o belo espectáculo das ondas a rebentarem na costa.
Fico muito agradado que tens uma atitude verdadeira não só para contigo mesmas, mas também para quem te rodeia. Isso obviamente irá assustar muito homem, especialmente os latinos. Contudo, da mesma forma que irá afastar muita gente… irá de alguma forma polir para as pessoas que realmente irão valer a pena.
Sobre sentimento e acção … faz-me me lembrar de muitas e variadíssimas histórias. Mas acho que a importante mensagem que retiras de ti própria, é que actualmente já consegues após todas essas experiencias, ter uma noção mais clara do que pretendes na tua vida. E isso é o mais importante. Aliás eu costumo dizer que na vida boas ou más, tudo são experiências, o importante é aprender com elas e poder evoluir dessa mesma aprendizagem.
Entendo essa independência… mas o que está em causa não é o facto de saberes desenrascar sozinha… ou de poderes como dizes “mudar um pneu, montar um candeeiro”, o que está em causa é de dar o espaço suficiente para que alguém possa entrar na tua vida e de alguma forma poder-te presentear com tais actos, mesmo que não necessários. Lembro-me um Chef de cozinha que dizia que os melhores petiscos que alguma vez comia era junto da sua mulher, não era pelo facto da comida em si (pois até era como ele dizia algo spicy), nem de não saber fazer (ele é um Chef), mas apenas e somente por ser um acto de amor e carinho para com ele, era uma forma de sua mulher dizer através daquela acção que queria tomar conta dele, da mesma forma que ele se preocupava com a sua mulher.
A independência é algo maravilhoso, mas nenhum Homem é uma ilha, somos como disse num outro post, para além de um ser social, somos seres relacionais. Tudo bem que possas ser independente, mas acharias interessante que um homem também se dispusesse dessa forma? Se ele tivesse uma atitude de eu sou assim, não preciso de nada ou ninguém… qual seria a tua postura para tal? Dá que pensar né?
Olha envio-te beijinhos e um fabuloso fim-de-semana.
Cheers!

john4sex a 17 de Outubro de 2008 às 22:15

Olá John

Acharia extremamente interessante um homem que quisesse apenas partilhar bons momentos comigo, pedir-me ajuda em alguma coisa que não queira ou não possa fazer sozinho. Mas (actualmente) fujo dos que não conseguem «respirar» sem ajuda... tipo ventilador... :-D

Respondi à tua pergunta?

Beijos!
Trintona(inha) a 20 de Outubro de 2008 às 21:10

Faz parte integrante de cada mulher a necessidade de uma explicação que para ela faça sentido, em situações que para eles não carecem de ser explicadas.
Se um homem mostrar interesse numa mulher e a convidar para um café ou um almoço/jantar ou um cinema, não está a comprometer-se, está a montar o cerco, a conhecer, a tomar o gosto.
Se de repente, sem ainda se ter comprometido, está uns dias, uma semana ou duas, sem dar sinal de vida, é porque NADA DE ÚTIL TEM A DIZER.
Foi meditar, processar os dados obtidos, tentar definir que tipo de relação poderá ter com ela, pode até ter sentido necessidade de espairecer.
Se nunca mais o vires, podes convencer-te de que não eras quem ele procurava e que ele não teve coragem de te o dizer.
Mas se voltar, então sim, aí é que vai ter qualquer coisa útil para dizer, ou, no mínimo, para mostrar através de atitudes, sobre o que quer para o futuro da vossa relação, sem sequer sentir necessidade de referir o passado.
Somos homens. Somos assim.
Vocês são mulheres. Não são assim.

Agora para o J4S: há homens que esperam ser amigos de mulheres sim senhor, apenas pela amizade. Mesmo que elas sejam boas com'ó milho. E lamento muito que não acredites nisso.
Não quer dizer que não pensem uma vez ou outra em sexo com elas. Apenas não o tentam, nem sequer falam nisso, porque prezam muito a amizade criada, que não pode nem deve ficar ensombrada por causa dum simples processo mental involuntário.
Da mesma forma que por vezes nos vem à ideia sexo com pessoas amigas, também por vezes imaginamos que vai acontecer uma tragédia a alguém da família, a alguém que amamos. Não controlamos isso. Controlamos sim é o tipo de reacção que essas coisas nos provocam. E é esse controlo que nos distingue a nós, Humanos, dos restantes seres vivos.
Miguel a 16 de Outubro de 2008 às 13:45

Olá Miguel

Como sempre, trouxeste nova luz... Então, para vocês, é normal estar... sei lá... um mês sem dar notícias e depois vir e dizer... então o nosso café?!
É que eu fico doida com essa atitude, normalmente a minha resposta é que não me lembro de termos combinado nada e, a partir daí, invariavelmente, a conversa azeda... Mas realmente, parece um padrão...

Beijos!
Trintona(inha) a 16 de Outubro de 2008 às 20:40

Bom dia Miguel,
Sobre a temática de homens e mulheres serem amigos. Apenas te posso dizer que respeito o teu ponto de vista, contudo não concordo de todo. Primeiro que tudo a questão de amizade é bastante subjectiva, o que eu penso o que será uma amizade para ti poderá ser algo diferente. Como tal irei expor-te a minha visão.
A questão entre homem e mulher a de ser bom como o milho! Isso é como se diz fachada. Aliás se repararmos muitas vezes a/o “amante” usualmente são bem mais feia/os que os respectivos.
Depois é uma questão de visão filosófica sobre a vida, eu sou um claro defensor de Freud. Considero que tudo está relacionado com o sexo. E com o tempo, cada vez me apercebo o quanto certo o mesmo está. Claro que podes falar claramente em “controlo”, contudo não é essa característica que difere entre nós e outros seres vivos, a única característica é apenas e somente a inteligência. E como é sabido existe vários tipos de inteligência, intelectual, emocional são o que hoje em dia andam mais em voga. Controlo é uma propriedade de desafiar os nossos impulsos inatos do nosso próprio ser. E isso, com o tempo, mais cedo ao mais tarde num determinado contexto irá ceder aos mesmos desejos.
Aliás a tua postura perante o sexo, deixa-me querer que tens uma forma de lidar bastante fechada ou mesmo desonesta contigo mesmo. Pelo simples facto de “nem sequer falam nisso, porque prezam a amizade criada…”… bom fiquei realmente estarrecido. Então acreditas que homem e mulher podem ser amigos desde que uma das partes minta? (sorriso)
O desejo sexual é a razão da existência do Homem, sem sexo não existia procriação, não existindo a raça humana acabaria. Actualmente pode-se obviamente argumentar com os métodos de inseminação e clonagem. Contudo até ao início do século XX, nada disso era possível.
O acredito sim, é que um homem e mulher poderão ter uma relação não sexual, no qual se poderá indicar alguns tipos dessas relações: será uma relação de protecção, uma relação de trabalho, uma relação de actividades (sejam elas quais forem). Contudo a nível de pura e verdadeira amizade entre duas pessoas no qual tenham a mesma vertente sexual, ou seja , hetero com hetero, ou homo com homo, essa situação só é possível através de sexo. Pois a sexualidade é uma forma também de expressão de sentimentos além de um ultimato de confiança entre duas pessoas. Mas como eu digo logo no início do meu post, a amizade é algo muito subjectiva, tal como amor, felicidade, tristeza..etc.etc.
Cheers!

john4sex a 17 de Outubro de 2008 às 09:43

Mentir não é um ingrediente que faça sentido numa amizade.
Apenas não comento com um amigo ou uma amiga qualquer tipo de fantasia que INVOLUTARIAMENTE tivesse com um deles.
E quando falo de amizade, refiro-me à Amizade.
Com Amigos desabafamos, falamos de assuntos íntimos, discutimos qualquer assunto sem tabus e sem medo de provocar discussão, e, mais importante, sabemos que os Amigos estão à disposição uns dos outros sempre que haja necessidade.
Os outros, os amigos que são apenas pessoas que mais ou menos conhecemos, não estão incluídas neste círculo.
E que raio, Freud? Ainda há quem alinhe nessa conversa? Penso que isso explica a tua atitude. Respeito, mas não alinho.
Recuso-me a aceitar que tudo neste mundo se reduza à genitália.
Procriar, prazer, conversar, discutir, inovar, criar, proporcionar desenvolvimento social, económico e tecnológico, alimentar os necessitados, meu Deus, as coisas que fazemos com os órgãos sexuais. Até serve para urinar, no fim de contas.
E onde fica a inteligência? o livre arbítrio? a vontade própria? arruma-se debaixo da cama enquanto damos uma?
Miguel a 17 de Outubro de 2008 às 11:43

Boa noite Miguel,
Tive a oportunidade de ler o seu comentário, e deixa-me que me diga… pelas suas palavras denoto um enorme querer quase obrigatório de controlo emocional, isto releva imenso…. Contudo prefiro não entrar em detalhes ou fazer qualquer tipo de psicanálise, apenas posso indicar que “fantasia involuntária”, denota uma enorme repressão na sua sexualidade.
Mas adiante, o motivo pelo qual me saltou à vista, é quando se tenta olhar de uma forma tão redutora para a sexualidade nas suas várias vertentes. Aliás o mais interessante é indicar “e onde fica a inteligência? E o livre arbítrio? A vontade própria?..” Penso que este conjunto de questões releva talvez pouco tempo em olhar para os temas com um pouco mais de ponderação.
Senão vejamos, inteligência? Aqui está um tema maravilhoso… está descrito por variadíssimos psicólogos e agentes médicos, que a deficiência na expressão de sexualidade ou no relacionamento da mesma, faz com a inteligência “standard” não se desenvolva naturalmente ao longo da vida. Já para não falar da inteligência emocional, no qual sem sexualidade, estamos perante uma castração seja homem ou mulher da sua capacidade de interacção com outros seres humanos.
Sobre a questão do livre arbítrio, presumo que tenha noção de isso é algo meramente virtual, todas as decisões de uma ser humano está sempre condicionado a uma determinada sociedade, perante determinados eventos, uma pessoa com um “background” mais voltado para religião terá uma forma de lidar com esse problema, e uma pessoa que tenha uma visão mais anti-religião poderá ter outra.
Aliás, se um dia tiver tempo para dedicar à leitura e compreensão desse tema irá perceber que o ser humano além de ser social é um ser relacional. Sem a relação com outros seres da mesma espécie, a respectiva inteligência… vontade de viver, etc.etc. Serão claramente condicionadas.
A questão sexual, é um aspecto, no qual em países católicos tentasse a todo custo colocar de lado, como que se fosse um acessório, como que não tivesse um papel preponderante em todos os aspectos da evolução do mesmo.
Por acaso já pensou que foi no século XIX em que se assistiu a uma evolução social incrível? E foi nesse mesmo tempo em que a sexualidade se tornou mais espontânea? Muito menos castrada pelas religiões? Pois é verdade, foi quando a questão da sexualidade deixou de ser tabu, e passou a ser algo no qual as pessoas começaram a assumir como seres sexuais que foi possível ter os maiores avanços em todos os campos que relatou.
Uma sociedade assexuada, é o mesmo que dizer que é uma sociedade morta! No dia em que deixarmos de ter esse ímpeto sexual, iremos entrar num estado de suicido anômico positivo ou negativo. Pois se não nos procriarmos, ninguém ficará cá para contar a história do avó, da avô etc, etc.
Finalmente sobre a questão da minha atitude, nem irei tecer comentários sobre isso, já que como dizia Sócrates, Disposição é a propriedade essencial para a procura de sabedoria. À quem à procura, à quem se esconda dela… a vida é assim mesmo.
john4sex a 17 de Outubro de 2008 às 22:14

Enfim, não se se sou eu que sinto necessidade de controlo emocional, se é o John que sente uma necessidade sexual em relação a tudo o que mexa.

Quanto ao fim do tabu "sexo", nem começou no século XIX (foi mais nos anos 50/60 do século XX), nem deixou ainda de existir.

E nunca olhei para o sexo de forma redutora. O que sei é que é ele que me governa. Não fujo do sexo nem o deixo fugir de mim, mas não o vejo sempre que dobro uma esquina, caramba. Nem sempre que vejo uma burra de lenço.

Mas já vi que não concordaremos. No entanto, gostei muito deste bate-papo.
Miguel a 20 de Outubro de 2008 às 09:21

Errata:
onde se lê "O que sei é que é ele que me governa.", deve ler-se "O que sei é que NÂO é ele que me governa.".
Só assim, suprida a omissão, é que o texto faz sentido.
Miguel a 20 de Outubro de 2008 às 13:38

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

13
14
16

19
21
22
23
24

26
28
29
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

49 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO