Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

18
Out 08

Ontem, enquanto conduzia, sozinha no carro, surgiu-me mais um tema para reflectir. E por isto, volto a dizer, não se pense que vivo obcecada com este tema, ou que isto acontece repetitivamente na minha vida... São só ideias que gosto de pôr em ordem na minha cabeça, para o que escrever é uma grande ajuda...

 

Sexo demasiado cedo, na minha geração e limítrofes... existe? Quando as pessoas chegam aos 30 anos já têm, na sua maioria, a sua sexualidade bem resolvida. Sabem do que gostam, com que género de pessoas gostam, o que ainda têm para experimentar, se é que

têm... Conhecemos alguém, saímos algumas vezes com essa pessoa... E, num dado momento, há vontade. Somos crescidinhos e partindo do pressuposto que não devemos nada a ninguém... Seguimos para Bingo. E é bom. Porque não?

 

Será que ainda hoje subsiste o pensamento de (e aqui falo só na perspectiva masculina) «Se ela foi para a cama comigo tão rápido... será que vai com todos?». Eu própria não sei responder a essa pergunta. Mas tendencialmente a resposta seria não. O interesse sexual, o porquê que uma outra pessoa nos atrai sexualmente é uma coisa tão delicada, tão dificilmente explicável... Posso dar o meu exemplo. Talvez, algumas vezes na minha vida tenha "deixado" o sexo acontecer demasiado cedo. Talvez algumas vezes isso tenha sido o fim da "relação". Mas, à semelhança do post anterior, isso também permite separar o trigo do joio. Um homem da minha idade tão tacanho que não quer estar comigo porque pode amedrontar-se com o número de parceiros que eu já tive não me interessa. Assim como me estou a marimbar com quantas mulheres o homem com quem estou já teve sexo. Não me interessa. Talvez porque a concorrência, ou o medo das comparações não me preocupa. Será essa a principal preocupação dos que consideram?

 

 

 

 

 

 

 

 

AMOR E SEXO
(Rita Lee / Roberto de Carvalho / Arnaldo Jabor)

 

Amor é um livro - Sexo é esporte
Sexo é escolha - Amor é sorte
Amor é pensamento, teorema
Amor é novela - Sexo é cinema
Sexo é imaginação, fantasia
Amor é prosa - Sexo é poesia
O amor nos torna patéticos
Sexo é uma selva de epiléticos

Amor é cristão - Sexo é pagão
Amor é latifúndio - Sexo é invasão
Amor é divino - Sexo é animal
Amor é bossa nova - Sexo é carnaval

Amor é para sempre - Sexo também
Sexo é do bom - Amor é do bem
Amor sem sexo é amizade
Sexo sem amor é vontade
Amor é um - Sexo é dois
Sexo antes - Amor depois
Sexo vem dos outros e vai embora
Amor vem de nós e demora

publicado por Trintona(inha) às 14:20
música: AMOR E SEXO - Rita Lee
sinto-me: Bem

11 comentários:
Para o J4S não há sexo demasiado cedo. Ainda antes de te ver, já está a imaginar como te convencer.
Trigo limpo farinha amparo.

Agora, o sexo nunca é forçado quando vem na altura certa.
Se te sentiste obrigada a "dar uma", então sabes que no mínimo aconteceu antes do que devia.
Miguel a 20 de Outubro de 2008 às 09:28

Olá Miguel

Aos 32 anos já aprendi que não é fugindo ao conflito que se resolve o que quer que seja. Tenho observado a vossa discordância de opiniões. Mas aqui apraz-me dizer duas coisas...

Primeiro, a crer no que o John escreve no blog dele, ele não quer convencer ninguém a ter sexo com ele. Ele cobra-se por isso, e parece que quem queira não falta. E eu não me estou a ver a pagar por isso. Mais facilmente imaginaria o contrário. Fantasio mesmo com isso (não com o John, esclareça-se já). E isso daria para um post. Adiante.

Nunca me senti «obrigada» a fazer amor/sexo seja com quem for. Se sentir, caio fora. Sei muito bem quando estou a ser manipulada. Se fui, em algumas alturas da minha vida, era porque valores mais altos se levantavam. E eu deixei. Mas essa pessoa pertence ao passado e, penso, este tipo de valores não mais "se vão levantar" na minha vida.

Obrigada pelos coments, pela visita... Gosto sempre muito dos teus pontos de vista, mesmo quando discordo deles.

Beijos!

Só quero deixar claro uma coisa. Nunca me apercebi de que o J4S cobrava pelo sexo. Por isso, nada do que eu lhe disse partia desse pressuposto. Estava completamente a Leste.
Mas já percebo melhor o seu ponto de vista.
Miguel a 21 de Outubro de 2008 às 09:37

Olá

Pois, deu para ir percebendo que não estavas na posse desse dado...

Beijos!
Trintona(inha) a 21 de Outubro de 2008 às 15:22

Caro Miguel,
A nível de sexo, ninguém convence ninguém! Existem vários tipos de relacionamento sexual:
- Quimico
- Físico
- Platónico

Penso que o terceiro ponto é de comum entendimento que é apenas algo "virtual", isso acontecia bastante na altura de namoro por carta, agora é namoro por email... ou algo assim.
Em relação ao Quimico, tem haver com o facto de alguém olhar para o outro e sentir automáticamente uma atracção total por essa pessoa... até própriamente pensar.. puxa porque será.. nem é a grande coisa em termos visuais.. contudo é algo que vai muito para além disso.
Finalmente o Fisico.. que é aquele que hoje em dia está muito em voga, utiliza-se muito o comer com os olhos.. mas depois vai-se a ver na realidade.. e nada acontece porque não existe qualquer quimica.

Como parte final.. ainda existe o espiritual.. mas isso era um post só relacionado com isso.. e penso que não valerá apena.

Tal como a Trintinha referiu.. eu cá não tenho que convencer nada nem ninguém, aliás eu vivo a minha vida sexual em dois mundos completamente diferentes... um em termos de forma de vida, outro apenas porque sinto valer apena.
E como dizes e muito bem.. para mim não existe sexo demasiadamente cedo... contudo uma mulher precisa sempre de "clima" para tal aconteça, a não ser que existe a tal quimica.
Cheers!
john4sex a 27 de Outubro de 2008 às 09:36

Viva Trintinha,

É verdade, de volta de uma mini-férias… muito interessantes sem dúvida… a ver se arranjo tempo para escrever um pouco sobre isso mesmo.
Adiantes, antes de mais obrigada por teres esclarecido o Miguel em relação ao estilo de vida… apesar de estar algo afastado da mesma ultimamente.
Mas vamos ao que interessa… sobre a questão do homem e mulher!
É assim, acho que acertastes completamente no alvo… principalmente no homem “latino” existe esse estigma de que o homem é que come todas, e a moça tem que ser tipo virgem. É uma questão que penso que vai muito para além da questão sexualista… é uma questão de cultura do próprio povo.
Um homem que tenha conhecimento de que a mulher teve múltiplos relacionamentos, se o mesmo não o teve, é muito complicado para o mesmo. E tendo em conta que grande parte dos “machos” é mais de boca do que na realidade, isso obviamente afecta claramente a psicose masculina.
Por outro lado um homem no qual realmente teve múltiplos relacionamentos, olha para essa situação com naturalidade, pois cada pessoa deverá viver da forma que sente melhor, em todas vertentes, seja ela espiritual, emocional, sexual… etc… etc… Isso obviamente dará ao mesmo uma forma de lidar com esse assunto com a normalidade que o exige.
Olhando um pouco mais fundo através do microscópio da sexualidade, existem várias teorias de que uma mulher que já teve múltiplos parceiros, e não estou a falar de 10 ou 20, estou a falar de 100 ou 200. Usualmente são mulheres nas quais tem uma forma de viver a vida diferente do comum das mulheres. Gosta do sentimento da conquista, gosta de explorar os prazeres da vida em diferentes contextos e cenários. E isso obviamente implica que possa existir claramente um conflito de personalidades. Ou seja, conquistador vs conquistadora.
Em resumo o que poderei indicar é que o ser humano, seja ele homem ou mulher, é um ser relacional, e mais cedo ou mais tarde irá necessitar desse mesmo tipo de relacionamento para sentir-se emocionalmente bem. Se esse relacionamento irá durar muito ou pouco tempo… tudo depende de cada uma das pessoas… a vida está cheia de supresas.
Cheers!
john4sex a 27 de Outubro de 2008 às 09:49

pode haver mas decisões, precipitadas ou tardias. agora quanto a sexo, nem é demasiado cedo ou demasiado tarde, somos nós que decidemos quanto nos apetece, quando faz sentido. sim, aos trinta já ultrapassámos complexos e hesitações, medos e preconceitos. o sexo é quando quisermos e ou é bom ou não.
provoCão a 27 de Outubro de 2008 às 17:30

sry, erro. logo no início é "pode haver más decisões(...)".
provoCão a 27 de Outubro de 2008 às 17:31

Olá Nuno

Penso que só concordará com estas frases quem tem, realmente, uma sexualidade bem resolvida... e isso exige uma imensidão de outras características...

As minhas desculpas por não ter respondido antes... Problemas de net...

Obrigada pela visita e pelo comentário

Beijos!
Trintona(inha) a 1 de Novembro de 2008 às 13:39

Alessandro...
Eu, ao contrário do que vc comentou - Trintona - prefiro mulher independente, porque não pretendo ser nenhum salvador da pátria de ninguém. Isto porque, sendo assim, sinto-me mais tranquilo ao lado de uma mulher independente, já que grande parte da mulherada, infelizmente, não procuram um homem, mas um alguém que lhe oferece conforto e, muitas vezes, não retribuem tal oferenda. Isso é fato. Vejo casos de homens que fazem tudo por suas mulheres e, de repente, vem a reasteira. O cara fica desorientado, mas aí é tarde. Não pretendo passar por esse tipo de situação.
Desta forma, prefiro mulher independente, porque tenho minha vida própria.
Anónimo a 8 de Novembro de 2008 às 19:38

Olá

Uma mulher independente não assusta um homem independente... Penso que é uma boa verdade...

Obrigada pela visita e pelo comment

Beijos
Trintona(inha) a 9 de Novembro de 2008 às 11:14

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

13
14
16

19
21
22
23
24

26
28
29
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

49 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO