Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

16
Jun 08

Ainda no seguimento da temática do blog, e após reflexão de mais um dos episódios da minha vida recente, não queremos ser enganadas.

 

Salvo algumas excepções (certamente todos conhecemos aquelas situações em que a verdade está aos olhos de todos os que querem olhar), as mulheres na casa dos 30 não querem ser enganadas. Ok, eu ponho isto na primeira pessoa, porque entendo que há quem se identifique e quem não concorde. Eu não quero ser enganada. Porque é que havemos todos de andar a mentir, omitir e contar meias-verdades?! Não tenho pachorra. Se a intenção é apenas dar uma volta, digam. Se é algo diferente, digam na mesma.

 

Lia no outro dia um blog em que a autora dizia que quem quer, comparece. Não há maior verdade... Não poder aparecer a algo combinado, pode acontecer a qualquer um.. Duas, grande azar... Três, quatro, cinco... eh pá! Demorei mas cheguei lá... O problema é quando a boca (ou os dedos, - SMS's, MSN...) continua a dizer coisas que as acções não acompanham...

 

E os porquês também baralham... Mas tive o meu «AhAh Moment» (quem vê a Oprah sabe o que isto significa) quando lia um artigo numa revista sobre mitos sobre a infidelidade. Nomeadamente, quando um dos subterfúgios utilizados para auto-desculpabilização é que, se não houver sexo, não é traição. Qualquer pessoa que está numa relação dita tradicional, monogâmica, pensará, com relação ao parceiro, que traição pode ser emocional. Mais ou menos grave que a traição pelo sexo... não sei. Não consigo estabelecer graus de gravidade. Mas que é uma grande treta, para mim é. Mas explica muita coisa nestas histórias de não-comparecimento a encontros...

 

Hoje estou com menos clareza mental para escrever, por isso o post pode ter saído um bocado estranho... Mas queria pôr aqui estes pontos para não me esquecer deles no futuro...

 

Trintona

publicado por Trintona(inha) às 21:02

14
Jun 08

Esqueci-me da regra (que eu pensava mais que sabida) do NUNCA perguntar no final «Então, foi bom para ti?»... especialmente quando se devia ter dois dedos de testa e saber que o desempenho não foi do melhor...

 

Meninos, imaginem lá... uma mulher despida, deitada ao vosso lado, que acabou de partilhar com vocês intimidades inigualáveis, vai-vos responder: «Oh querido, foste uma merda... a mim não me vais pôr as mãos em cima outra vez!»

 

Ganhem juízo...

 

Trintona

publicado por Trintona(inha) às 20:47

 

Bem... antes de mais... olá. Olá a todos os que, por acidente (só pode ser!), vieram parar a este blog (será que alguma vez alguém o verá???).

 

Porque raio fui fazer um blog... bem, escrever é uma forma de ostracizar alguns fantasmas... e eu começo agora a fazer isso... em vez de escrever num diário de papel, prefiro «escrever digitalmente». Para já porque é mais prático, e depois porque as minhas experiências podem vir a contribuir um pouquinho para a felicidade de alguém (isto soa megalómano!).

 

Chama-se assim porque eu sou trintona... e pretendo, quando conseguir, explicar o que é que nós, trintonas, queremos da vida, dos homens, umas das outras... Talvez consiga isto porque gosto de pensar em mim como uma trintona típica... Ou talvez não... lol... Emprego estável, separada, filhos, casa própria, carro... enfim, dito assim não parece muito mal... E de há uns dias para cá, também me tem estado a parecer bem melhor... Deve ser do sol que brilha no céu! Que delícia...

 

Bom, então vou começar por escrever sobre aquilo que me levou a pensar escrever um blog... (nota mental: ir ver se há uma terminologia própria para bloguers, deve haver...)

Depois de uma noite de saída com amigos, proporcionou-se o meu primeiro «one night stand». Portei-me bem com relação a isso... Não lhe pedi número de telefone, mail ou what ever... Não fantasiei ter uma relação com ele... Que eu saiba, ele também não me tentou contactar de nenhuma forma. Bom, isso está tratado. Foi só pelo que foi, e pronto... Agora, a qualidade da acção é que deixou muito a desejar... Por isso pensei em elaborar uns pontos-guias para a rapaziada/mulherada, porque, pelos vistos, mesmo trintões, há quem não saiba o que anda a fazer...

1. Se o rapaz bebeu, não pensem nisso. Aquilo não vai estar em condições... vai ser gastar cartuchos em dia de chuva...

2. Se vocês acabaram de se conhecer, se calhar o menino pode abster-se de sugerir práticas que, se calhar, até punha em prática com a namorada... que já conhecia há algum tempo... Num primeiro contacto... Se nós quisermos fazer algo mais extravagante, nós avançamos, não precisamos de dicas. Para mim, foi um grande turn-off (concordam/ discordam, meninas?)...

3. Se vocês estão os dois em plena acção, o outro (e acho que aqui tanto faz ser homem ou mulher) diz qualquer coisa que vocês não ouviram, não digam «O quê?!»... Mais vale continuar afincadamente no que se está a fazer... Se for importante, o outro volta a repetir...

4. Preservativo. Está fora de discussão... - ou melhor... está dentro! ;-)

 

Agora só me ocorrem estes... Que derivam de uma só experiência... Mas como podem depreender, não correu de feição...

 

Até à próxima (se houver... lol)

Bjs

Trintona

 

 

 

 

 

publicado por Trintona(inha) às 17:09
música: Toque-toque; da weasel
sinto-me:
tags:

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
19
20

22
28

30


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

49 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO