Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

21
Mar 09

 

Muitas vezes me interrogo em que é que as novas tecnologias vieram mudar as relações humanas, mais propriamente a comunicação entre eles.

 

Não me interpretem mal, sou fã incondicional do MSN, do Hi5, das SMS, do próprio telemóvel... mas creio que estas novas formas de comunicação vieram alterar e muito a forma como as pessoas assumem a comunicação olho-no-olho.

 

Quantas vezes não temos um assunto difícil de abordar, não conseguimos fazê-lo cara-a-cara e esperamos ou provocamos uma "comunicação" à distância para o fazer?

 

Quantas pessoas perderam já a capacidade de manter uma conversa sobre os seus próprios sentimentos? E estas próximas gerações, chamemos-lhe "Geração Magalhães"... que "nasceram" já com a capacidade maravilhosa de manusear um telemóvel ou um portátil mais habilmente do que pessoas que nasceram o século passado?

 

Penso que esta questão não traz benefícios a ninguém de forma individual, nem a nós, como sociedade. Não fomenta a frontalidade, nem a sinceridade, nem a coragem de falar sobre assuntos incómodos para nós ou que sabemos causar sofrimento no outro.

 

Gostava de ler algo sobre isto, mas não sei o que existe. Acho que vou fazer uma pesquisa.

 

Beijo!

publicado por Trintona(inha) às 16:23
música: Pink - So what
sinto-me: Inquisidora!

7 comentários:
Não costumo criticar nem mandar bocas a quem usa aqueles conjuntos de caracteres para expressar um sentimento, uma expresão ou uma reacção que na escrita não faria muito sentido.
Só me aborrece quando, por exemplo
alguém dix (lol) que se excreve axim (rsrsrs) pk xe tem a intenxão de enfantijar (loooool) ax palavrax que maix xignificado têm no contexto (;-D
Quando, por vezes, estou ao pé do filho de 14 anos, quando ele está a usar o msn com algum amigo, até sinto orgulho, porque ele responde com texto coerente ao texto incoerente que recebe e, pasme-se, compreende.
O exemplo das cartas, bom, eu ainda tenho as cartas que recebi, quem quer que tenha sido o remetente. E de vez em quando releio-as. Alguém hoje relê um e-mail de amor ou de amizade?
Estamos, de facto, e como já diziam os Táxi na celebrada "chiclette" do início dos anos 80, "... a sociedade de consumo imediato...", "...que se prova, mastiga e deita fora, sem demora..."
Miguel a 26 de Março de 2009 às 14:10

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
28

29
30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

49 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO