Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

26
Nov 11

 

Logo após a minha separação criei na minha cabeça uma série de máximas. Uma delas foi jurar a mim mesma que nunca ia voltar a acreditar que existem pessoas fiéis. A teoria é mais ou menos assim: toda a gente dá a facadinha se achar que não é apanhada e quando a tentação é superior a um nível-limite. Se a tentação não for suficientemente grande, não o fará... Já se for...

 

Assim, vendo-me numa relação há já algum tempo, de vez em quando penso... mantenho a mesma teoria ou revejo, adaptando-a à minha situação actual? ;-)

 

E não é que há coisa de semanas me vejo, em plena viagem de carro com o respectivo a explanar a minha teoria?

 

Ao que ele me responde: "Claro que o mesmo se aplica a ti..."

 

(Obviamente, não neguei...)

 

publicado por Trintona(inha) às 23:11

9 comentários:
Por acaso, tenho uma amiga que pensa como tu. Talvez por tudo o que já passou e já viu acontecer a pessoas conhecidas.
Mas, sinceramente, acho muito triste acreditar-se nisso e viver uma relação com essa verdade em mente.
Eu não sei se algum dia isso me vai acontecer, mas prefiro viver a minha relação a achar que nunca nos vamos trair um ao outro!
Margot a 29 de Novembro de 2011 às 14:44

Eu vivo o meu casamento sem pensar que vou trair ou ser traído. Não é assunto que me tire o sono e só penso nisso quando vem à baila numa qualquer conversa.

De resto, como já sabemos o que o outro pensa, também sabemos o que nos espera.

Mas, repito, não vivo atormentado com esse receio.
Miguel a 2 de Dezembro de 2011 às 13:11

Ainda bem, M. Viver atormentado com isso é muito mau. Acredita, eu já soube o que era isso.

:-*
Trintona(inha) a 5 de Dezembro de 2011 às 19:13

Olá Margot

Não sei que idade tens, mas... quando eu tinha 20 anos, pensava assim. Hoje, tenho 35 e não vivo a minha relação a pensar que vai acontecer, mas com o sentimento de tranquilidade que tanto é possível que aconteça da minha parte como dele... Não sei se me consigo fazer entender... Não é fácil...

Olá! As nossas idades não diferem muito. Eu tenho 34.
E continuo a achar que se isso acontecer na minha relação, então, será o fim da mesma, seja eu a trair ou ele. Nunca conseguiria perdoar uma coisa dessas e acredito que se o trair, será porque aquela relação já não vale a pena.
Daí achar que numa relação tem de existir fidelidade. Se isso não existir, então, para mim, não existe relação.
Margot a 6 de Dezembro de 2011 às 10:43

Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23

27
30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

49 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO