Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

13
Jul 08

 

Tendo noção de que coloquei no post anterior a idade do meu date de ontem, duas questões precisam, para mim, ser exploradas. Partindo da noção de que ambos gostaríamos de repetir, tal como já expressámos um ao outro, o que é que leva uma trintinha a olhar para um vintinho? E o oposto?

 

Pondo de parte o preconceito, pois que ainda por cima é do menos aceite socialmente que se trata, o que é que pode fazer duas almas com (até pouca) diferença de idade quererem estar juntas por algum tempo? O tipo de interesse é algo que eu própria ainda tenho que explorar, pois se, com um quarentão pouca coisa me faz confusão, com um «pito» na casa dos vinte, a coisa não se passa bem assim. Para sossego da minha consciência, não fui eu que o procurei. Como já descrevi noutro post, também não fui eu que propus a saída, muito embora já tivesse sido solicitada por parte dele várias vezes, e tivesse sido uma frase minha que a despoletou.

 

Da parte dele, parece-me óbvio que o interesse é quase, se não mesmo totalmente, só sexual. Ele viu algumas fotos minhas, diz que não pareço ter 31 anos (vou fingir que acredito) e gostou. Ok. Saiu ontem comigo, e diz que gostou na mesma. lol. Ok. Ele até é um rapaz bem apresentado, olho e cabelo claro, não demasiado alto, mas também não tem 1.65... Tímido? Ele diz que sim. Será por isso que se interessa por mulheres mais velhas? Dão menos luta, são menos dissimuladas (já sei que há quem não concorde, mas se há coisa que a vida me ensinou é que não vale a pena andarmos todos a brincar às casinhas - se queremos qualquer coisa, porque não admitir?!)? Tinha o preconceito, até ontem, que as miúdas de vinte anos são «fáceis». Hoje tenho dúvidas... E depois, lembro-me sempre que esta «pancada» pode advir de problemas com as figuras parentais... Enfim...

 

Da minha parte, o que é que eu posso ver nele... Bom. Quando saí de casa ia tranquilíssima da vida porque pensava... «Não vou ter qualquer problema, com a idade que ele tem, não vou sentir qualquer tipo de atracção e não vou ficar indecisa com nada...» E assim foi... Até começarmos a conversar, a conhecermo-nos melhor... Depois na caminhada até aos carros... E a despedida... Ambos pensámos duas vezes onde é que faria sentido beijarmo-nos. Bom, eu pensei isto, ele pode ter pensado que se me beijava na boca levava um estalo... lol... Mas não levaria... É ponto assente que eu não quero uma relação amorosa convencional. Não sonho mais com viver em comum, já tenho os filhos que a vida permite ter com alguma (pouca) comodidade... Por isso, tudo o que aspiro é uma relação com alguém que me tire fora do sério (alusão ao site que destaco no fim...)... Que me deixe nas nuvens, muito sexual mas também, se possível, de alguma forma... amorosa?! Não será este o melhor termo mas não consigo arranjar um melhor. Se quisesse sexo apenas por sexo, já teria tido vários one night stand's, mais ou menos satisfatórios. Talvez lá chegue, mas para já ainda não. Será que, pela sua idade apenas, este tipo de fim lhe está completamente proscrito? Não sei. Material para ponderar neste que vai ser o meu último dia de férias... até Setembro! :-)

 

 

Um blog que encontrei hoje, fantástico:

http://audaciosos.blogs.sapo.pt/

 

 

Beijos

Trintinha

publicado por Trintona(inha) às 00:00
sinto-me: Entusiasmada!
música: James Blunt - 1973
tags: , ,

9 comentários:
Olá, adorei ler o que escreveu, tambem eu me considero um trintão já quase quarentão (faltam mais cinco ) e lógicamente tambem já fui um "pito" como voçê chama aos (putos), e sabe não sei porque mas tambem sempre tive um enorme fascinio por mulheres mais velhas quando tinha os meus "vintes" talvez por serem mais charmosas, não sei sinceramente mas sempre tive, e modéstia a parte tambem sempre tive a sorte de andar com Mulheres 10 ou 15 anos mais velhas do que eu, uma das grandes diferenças que eu achava em relação as mulheres mais velhas do que eu e as miudas da minha idade era a conversa, sabiam do que falavam, sabiam os timing´s certos para tudo, nem tudo se resume a sexo, mas sim a uma série de factores que marcam pela possitiva a diferença de idades; Enfim esta é a minha opinião,hoje parece que algo mudou ou está a mudar em mim pois já começo a ver algum encaanto em miudas de 20 e poucos mas tem que ter algo mais sem ser apenas um corpo fantástico e uma cara bonita.
Continue gostei
Luis a 14 de Julho de 2008 às 10:01

Olá Luis

Podia jurar que já respondi ao comentário antes, mas isto deve ter caído antes de ter ficado gravado... não sei...

Obrigada pelos elogios ao blog.

Já quase quarentão com 35?! Ainda falta metade! E bons anos podem ser estes 5 e outros ainda!

Trata-me por tu, por favor! ;-)

Mais charmosas, sabem do que falam, sabem os timing´s certos para tudo, que bom... Mas aos 30 já não podemos ter um corpo fantástico e uma cara bonita?! :-D

Obrigada
Beijos!

Não sei, não. A diferença de idades não é suficiente para haver um domínio claro do(a) mais velho(a).
E por domínio entenda-se mais no sentido de guia, condutor...
Tu ainda não tens a experiência duma quarentona (ou mesmo trintona) bem vivida, e ele não tem uma fogosidade muito maior que as dos homens da tua idade.
O mesmo na razão inversa: uma mulher entre os 18 e os 20 e poucos tem mais a aprender com um quarentão ou cinquentão e, ao mesmo tempo, está mais aberta aos "ensinamentos" dum homem destas idades do que aos de um trintinha, que não ainda deixou de ser um puto.
Claro que isto se aplica mais a quem anda numa de caça, de aventura. Para quem procura amor ou amizade nada do que foi agora dito faz sentido.
Miguel a 15 de Julho de 2008 às 11:46

Olá Miguel

Entendo o que queres dizer em relação à diferença de idades e ao «domínio» da relação. E concordo. É como em tudo, eu posso ter 31 anos, vividos como freira (o que não é verdade...) e ele 22 vividos como um D. Juan... Ou nem ser bem isso, mas ter mais maturidade... Enfim...

Agora não entendo é porque é que isso é diferente consoante o que se pretende da «relação»...

Beijos
Trintinha

Quando apenas se procura sexo, aceitamos fácilmente estar na posição de "mestre" ou de "aluno".
Se procuramos uma relação estável, com fins ditos mais sérios, não creio que seja admissível uma postura de mestre ou de aluno por parte de qualquer dos parceiros.
Tenho 42 anos. Vividos. Creio que, com uma rapariga de 20 anos, terei mais a ensinar do a aprender, sexualmente falando. Sem esquecer que estamos sempre a aprender, mesmo com os mais novos.
Mas se namorasse com ela, com as tais intenções mais sérias, não caberia a qualquer de nós ensinar o outro sobre a vida em comum. Os dois teríamos que aprender a conviver, um com o outro.
Digo eu.
Miguel a 16 de Julho de 2008 às 13:26

Olá Miguel

Entendi. E atrevo-me a acrescentar... Quando um deles vai para uma relação, seja ela qual for a situação, excepto puramente sexual, com a postura de mestre ou de humilde aprendiz, tanto faz, muito dificilmente essa relação sobreviverá...

Beijos

Comentário apagado.
Anónimo a 15 de Julho de 2008 às 14:25

Olá Luis

Não era preciso pedir desculpa, foi só uma provocação, eu sei bem que aos 30 pode-se ser um «pedaço de mau caminho»... ;-)

Beijos!

(só um à parte... queres q apague o teu comentário? é que ele é público e puseste lá 2 mails teus...)

Olá...

Então agora que estamos esclarecidos, por favor e se não te importares apaga-me o meu ultimo post, pois não quero os meus mail´s por ai a vista, quanto a ti se quiseres guardar estas a vontade
luis a 16 de Julho de 2008 às 13:33

Olá Luis

Está apagado...

Bjs!

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

14
17
18
19

21
22
23
24
25
26

27
29
30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

49 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO