Considero-me uma trintona média, logo, representativa da Classe... mas posso estar enganada...

20
Jul 08

 

Bom, onde há fumo, há fogo.
Quando se diz que uma mulher de trinta ou mais e um homem de vinte é explosivo, parece que é verdade... O que lhes pode faltar em experiência e know-how pode ser perfeitamente compensado com performance e vontade de aprender...
 Bom, como já deu para perceber, uma das minhas saídas correu muito, muito bem... O vintinho era muito giro, apetecível... Sem conversa da treta, sem confusões, sem compromissos, sem complicações... Isto já parece o anúncio do Pingo Doce! Mas é mesmo assim. Penso que uma das vantagens desta faixa etária é mesmo essa. Um quarentão, por exemplo, ou é casado, ou é divorciado, ou solteirão... Ou está cheio de vícios, postos pelas ex-namoradas, pelas ex-mulheres ou pelas mamãs... Um vintinho está interessado na experiência e nada mais. A parte física correu muito bem, para já fiquei satisfeita (não, não estou a falar da parte sexual propriamente dita), mas será que, a longo prazo, é isto que quero?
Penso que não. Preciso de alguém que me saiba cortejar, alguém que saiba o que é dirty talk e que saiba aplicá-la na altura certa, com as frases certas (que isto não se ensina...), alguém que, quando me abraça, sinto que me protege contra tudo e todos. Mas depois, é precisamente esse tipo de homem que está comigo e com mais duas ou três ao mesmo tempo... E eu prometo a mim própria não ser assim, não ser leal a quem não o é para comigo, mas o primeiro pensamento é de, imaginando-me com alguém, pôr todos os outros de parte...
Porque é que eu sou assim? Será que não há homens interessantes e leais? É uma pergunta meramente retórica... Tenho 31 anos (quase 32 :-D). Mesmo que consideremos que só comecei a namorar aos 14, o que nem é bem verdade, são 17 a conhecer o sexo oposto. 17 anos de um conhecer homens (não todos por experiência própria, claro...) e todos eles não desperdiçam uma oportunidade. Isto quando não a procuram activamente...
Não sei que escolhas vou fazer no futuro. Se vou alguma vez sentir a necessidade de "estabilidade" pela qual muitas mulheres fecham os olhos ao que os maridos fazem. Para já não. Não estou disposta a ceder esse meu sossego. Não sei se encontrarei algum dia um homem que me agrade e que aceite, de bom grado, o que tenho para oferecer. Às vezes, penso que é pouco. Às vezes penso que, para alguns, é ouro sobre azul. Não sei. Ainda não encontrei o homem cujo perfil me faz desejar saber se lhe chega.
Continuo sem o número do Labrador. O favor deu azo a uma longa conversa, mas não se proporcionou troca de números. Soube mais alguns pormenores que mais me aguçaram o apetite. Se chegar a ser, é para ir com calma. Tem 43 anos, faz 44 vinte dias antes de mim... Casa própria, longe dos pais... Dá-me a sensação que está interessado, mas talvez não me queira afugentar... Afinal sempre tem mais 12 anos que eu... (Não, Miguel, gay não é, isso acho que eu conseguia detectar...) E claro, quando lá vou, estou sempre rodeada dos meus filhos, com a minha mãe...
O Rafeiro2 fez-me um convite, que não vou aceitar. O Rafeiro1 voltou a não dizer nada, um dia destes lembra-se, não sei se julga que estou à espera dele. Sinceramente, nem quero saber...
A minha amiga do peito (bom, dos dois...) voltou a sugerir um encontro. Se, por um lado, sinto curiosidade, por outro fico a imaginar o momento e penso que, a certa altura, vou sentir falta de qualquer coisa (não posso nomear, senão caio na pornoxaxada :-P)... Tive vontade de lhe perguntar se ela não sente, mas achei que seria muito atrevido. Talvez ainda esclareça essa minha dúvida.
O meu local de trabalho continua um deserto em termos de homens interessantes. Pode ser que, na próxima semana, a vida me reserve algumas surpresas...
Beijos
Trintinha
 
 
publicado por Trintona(inha) às 21:25
música: Pedro Abrunhosa - Eu estou aqui
sinto-me: Bem

16
Jul 08

 

Depois de ler um dos destaques do Sapo de hoje, o do fã do Zezé Camarinha, fiquei inspirada para escrever sobre sexo. Para começo de conversa, eu não sei muito bem quem o senhor é. Ok, é um homem, do Algarve, cota, pelo que me lembro, que papava as «cámones». Até aí, acho óptimo. Elas vêm a Portugal, e se procuram sexo, que alguém lhes dê, de preferência, do bom. Agora, pelo que pouco que entendo do assunto, parece-me que ele, os seus fãs e outros que tratam as mulheres do mesmo modo, tratam-nos como vacas no matadouro, apenas um número a elevar. Ok. Estão no seu direito. Mas estão à espera que gostemos de ser assim tratadas? I think not!

 

Vendo a coisa por outro prisma, para uma mulher seria facílimo fazer isso. Arrisco-me a dizer que, se eu ou uma mulher equivalente a mim (significa isto apenas que tenha a mesma experiência que eu tenho com os homens em geral, o como eles respondem a uma «proposta» -  e não precisa ser explícita...) teria a proporção ao contrário. Este fã diz que, se investir em 100 mulheres, consegue 10. Eu tenho dúvidas que, se eu tentasse 100 homens, 10 recusariam... Mas adiante.

 

O que é que faz de uma experiência uma boa ou má queca... Isto é post para várias horas...

 

1º. O homem em si. Isto pondo de parte as minhas tendências bissexuais, que acho que já esclareci na minha cabeça que homossexual restrita muito dificilmente serei alguma vez. Ok. Tem que ser alguém sexualmente atraente. Não querendo cair no óbvio, alguém bonito, alto, inteligente, com algum status (desculpem a sinceridade), com mais de 20 mas menos de 45 (poderiam haver excepções, mas convém não aparentar, pelo menos, mais de 45), cheirosinho...

 

2º. O sítio. Se o sítio proposto é a minha casa, é sinal que o moço não possui cantinho próprio. Como já expliquei anteriormente, é um ponto a menos. Ou mais. Depende, talvez, da idade do jovem em questão.

 

3º. Como começamos. O ambiente, se foi criado pelo jovem, e é o adequado... são vários pontos a mais... Velas, música ambiente adequada, umas flores na casa... E se cozinha para mim... ui... Nem que seja só um bife e uma salada... É  intenção que conta, não a refeição em si... certo?

 

4º. Se demonstra que está interessado em que eu goste mesmo do momento ou se só pensa no próprio umbigo... Tal como é válido para nós, se gostamos de algo é natural que o outro goste de receber do mesmo... estou a pensar em sexo oral, mas o mesmo é válido para uma massagem, para uma roupa interior interessante...

 

5º. Ter preservativos. Volto a dizer que não há volta a dar neste assunto. Se não os tem, é mau sinal...

 

6º. Ter uma atitude cool. Não sei como pôr isto de outra forma. É não sugerir, como se estivesse a falar com a mulher da praça, o que se gostaria de obter. É não perguntar no final se se gostou. É talvez, de preferência com conhecimento de causa, que se é bom, que não é preciso perguntar. É sinal de que nos fizeram gritat tanto de prazer que não é preciso perguntar...

 

7º. A atitude que se adopta depois. Não mostrar descaradamente que nos querem ver pelas costas... Também não gosto de melgas, mas acho que há quem goste. Não gosto de dormir abraçada, por exemplo, mas tenho noção de que há quem goste...

 

8º. Quanto ao telefonar ou entrar em contacto depois, isso depende. Já aqui referi uma vez que, se o objectivo foi só mesmo aquela noite, tá optimo. Se não... depos digo-vos... ;-)

 

9º. Se tiver uns brinquedos sexuais interessantes... Marca mais uns pontos no quadro... ;-)

 

A ver vamos se amanhã escrevo um post na posse de um determinado número de telemóvel... Ou seja, com um sorriso de orelha a orelha...

 

Beijos

Trintinha

 

 

 

publicado por Trintona(inha) às 18:59
música: Ronan Keating Feat Yusuf Islam - Father And Son
sinto-me: Esperançada!

15
Jul 08

 

Bom, dois dias de trabalho já se passaram. O Rafeiro já lá não trabalha. Ainda bem, porque apesar de não me lembrar muito frequentemente dele, se tivesse de continuar a vê-lo diariamente, era bem mais complicado. Longe da vista, longe do coração... Mas o ambiente está excelente!

 

O Labrador deu-me hoje os dados completos dele, exceptuando o telemóvel, que não fazia muito sentido no contexto... E perguntou-me exactamente que dados eu precisava... e eu não tive coragem de lhe pedir o telemóvel... Quase bati com a cabeça nas paredes depois! E já sei que, quando eu voltar a falar com ele, ele me vai perguntar qualquer coisa como «como é que posso retribuir o favor»... e eu não vou ter coragem outra vez... Porque é que sou capaz de falar com o homem do café sobre as minhas tendências bissexuais e, com quem me interessa, nem o telefone lhe consigo pedir?! Mas como eu estou pouco habituada a não conseguir o que quero, já descobri mais algumas coisas sobre ele... Maravilhas do Google... Telemóvel é que não há meio de descobrir... Ou mail... E não sei como é que O hei-de conseguir... ter... ;-)

 

Estou um pouco mais atrevida e desinibida neste tipo de contactos... quando era miúda mal conseguia articular as palavras... Mas tenho que investigar nesta cabeça porque é que sou assim... E não é com todos...

 

O vintinho parece continuar bem interessado, eu também... Vamos ver que surpresas a Sexta-feira me reserva... Depois de sair com ele fui ler o histórico... Ainda bem que só fui ver depois, se calhar não tinha ido... Pelas coisas que disse... lol... Pode parecer um contra-censo, mas acho que é do conhecimento geral que a comunicação por SMS, mail ou Messenger desinibe muito... E tanto eu como ele falámos, entre outras coisas, claro, de preferências sexuais... lol... também devia ser do adiantado da hora... Resumindo e concluindo... Se o que ele anunciou for verdade, vamo-nos dar muiiiiito bem... ;-) Antes da saída tenho que fazer um check-list para depois poder comparar com os meus requisitos-base... Claro, sem entrar na pornoxaxada! ;-)

 

Beijos

Trintinha

 

publicado por Trintona(inha) às 21:47
música: Plain White T's - Hey There Delilah
sinto-me: Contente!

09
Jul 08

 

Hoje estou triste. Triste porque pensava que ia ser hoje que eu ia ter uma conversa mais... íntima... com o Labrador, mas ele não foi trabalhar hoje. Tá mal! Quem autorizou?! Eu não fui de certeza! Até podia não trabalhar mais nenhum dia da semana, mas devia sempre ir às terças e quintas!!! E já agora, aos sábados também :-D...  E dar-me a porra do número de telemóvel, que já usei de todos os recursos mas não consigo obtê-lo. Qualquer dia tenho que o convidar na lata mesmo para um café ou outra bedida qualquer. Ai as coisas porcas que me atravessaram o cérebro neste momento!

 

Ok. Já sei o primeiro e último nome dele, a localidade onde mora, qual é o café perto do trabalho que costuma frequentar, conheço o seu meio de transporte de gingeira... E a última vez que o vi pediu-me uma coisa a nível profissional... Eu aproveitei logo para avançar com os meus interesses, disse-lhe que precisava de uma data de dados dele... E se ele não me der o número de telemóvel, a ver se tenho coragem de lho pedir. Não acredito... Mas tenho esperança! E como diz o Panda do Kung Fu (sim, a minha filha já viu e tive que ouvir a descrição de 4 horas de um filme de 90 minutos...) «Basta acreditar!»

 

E agora vou fechar o Sapo e explorar as minhas tendências lésbicas no Messenger...

 

 

Beijos

Trintinha

publicado por Trintona(inha) às 00:09
sinto-me: Triste mas expectante!
música: Hoje nada...

04
Jul 08

Comecei este meu post ontem, na esplanada, a curtir um cafézinho... Mas ao tentar passar para o telemóvel... fiz asneira... enfim... E não consegui passar do segundo parágrafo...

 

Anteontem acabei por ir ao cinema, sozinha... Mas antes só que mal acompanhada... E fui ver um filme muito interessante... «Obsessão mortal»... Já comecei a pesquisar sobre alguns assuntos lá referenciados, mas não são poucos e não é fácil... Mas a história dos date rapists, por exemplo, já me fez encontrar algumas coisas interessantes... Sinto-me como se tivesse adormecido de um coma... de 7 anos...

 

O Rafeiro1 voltou a mandar-me SMS. Tem trabalho novo, deve ser disso. Tá com saudades minhas, e tal... Mas quando chega o momento de marcar uma hora... para a semana. Favas! Despachei-o.

 

O Rafeiro2 continua a falar, e tal... Quando eu puder... Mas tenho grandes dúvidas...

 

O Concord faz-me sentir muito bem... sabe o que dizer, como dizer... os quarentões têm mesmo boas vantagens... ;-)

 

Ontem foi «dia do desporto»... ou seja, dos dois desportos... o yoga, que me faz bem ao corpo - já se começa a notar as alterações - e à mente... deixa-me relaxada... O outro desporto, quem o faz é a minha menina, mas eu saio de lá revigorada!!! Este avião tem mais de um metro e oitenta e cinco, mas tem tudo o resto que eu gosto... E ontem fez questão de falar na faculdade que frequentou... ou seja, mostrar que é inteligente... gostei do toque... ;-)

Este morde de certeza... e eu só estou à espera de uma oportunidade... Dou-te também umas dentadas... Vou chamar-lhe Labrador... Lindo, atlético, inteligente... e com uma boa boca para me dar umas boas dentadas... E mostra-se interessado, claro... Pena que só o vejo duas vezes por semana...

 

Bjs

 

Trintinha

 

 

 

 

 

publicado por Trintona(inha) às 19:19
música: The Story - Brandie Carlile
sinto-me: Muito contente...

Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

49 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO